Microsoft vai liberar streamings ao vivo pelo Azure

Por Redação | 12 de Setembro de 2014 às 11h00

A Amazon comprou o Twitch, enquanto o YouTube cada vez mais se posiciona para se tornar um bom site para quem gosta de fazer e assistir a streamings. Mas agora é a vez da Microsoft também entrar de cabeça nesse segmento e apostar em sua infraestrutura de cloud computing para lançar seu próprio serviço de vídeo ao vivo, batizado simplesmente de Live Streaming.

A nova atribuição da divisão Media Services do Azure está em fase de testes desde o ano passado, quando aconteceram as Olímpiadas de Inverno de Sochi, na Rússia, e entram agora em preview público após uma utilização vista como bem-sucedida na Copa do Mundo. Assinantes do serviço podem testar a função, que promete conexões mais rápidas, menos oscilação de qualidade e uma infraestrutura completa para transmissão e armazenamento de imagens.

Falando em números, a companhia promete que o serviço se manterá funcional em 99,9% do tempo, operando com até 200 Mbps de velocidade para cada transmissor. Além disso, a plataforma conta com opções de codificação que permitem ao espectador escolher a qualidade que melhor se adequa à sua conexão, além de proteções DRM que evitam que o conteúdo seja pirateado ou copiado sem a autorização dos autores.

Os preços variam de acordo com a quantidade de dados trafegados. Os primeiros 5 TB enviados saem por R$ 4,58, com valores que vão caindo quanto mais transmissões são realizadas. É uma boa para quem realiza grandes eventos, com um fluxo de usuários enorme e não quer receber uma fatura gigantesca no final do mês. Os preços podem ser encontrados no site oficial do serviço.

Como aponta em seu blog oficial, o Azure Live Streaming tem foco voltado para usuários corporativos, o que pode ser visto como um aspecto pouco comum no mercado atual. Assim, acredita a Microsoft, ela se coloca um passo à frente de concorrentes como a própria Amazon, que possui seus sistemas de computação na nuvem, mas parece mais disposta a focar no utilizador final com a recente aquisição do Twitch.

Mais do que isso, é mais uma oportunidade para acumular novos clientes e manter aqueles que já o são, evitando que eles tenham que fazer assinaturas adicionais de novos serviços e acabem levando todo o seu uso para a concorrência. Assim, empresas de mídia e marketing, por exemplo, podem integrar suas contas de cloud computing ao Live Streaming para realizar todas as ações em um só lugar.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.