Microsoft se junta a projeto de software livre para entender comunidade do Linux

Por Redação | 29 de Janeiro de 2014 às 09h50

A Microsoft anunciou nessa terça-feira (28) que contribuirá com o Open Compute Project, destinando a ele informações de alguns dos seus servidores de computação na nuvem que armazenam serviços como o Bing e o Windows Azure. A decisão, segundo o PC World, é uma tentativa de padronizar e reduzir os custos de hardware da companhia.

A empresa de tecnologia com sede em Redmond também anunciou que está fornecendo códigos-fonte de sistemas de gerenciamento de projetos à iniciativa. O objetivo, neste ponto, é criar uma comunidade de software de código aberto lá. Além disso tudo, a Microsoft pode estar à procura de uma oportunidade de melhorar o seu sistema operacional destinado a servidores, o Windows Server, a partir da colaboração dos membros da comunidade.

"Acredito que eles estão tentando ter voz ativa numa comunidade que nunca os escutou", disse Patrick Moorhead, fundador e presidente da empresa de pesquisa Moor Insights & Strategy. O Open Compute Project foi anunciado pelo Facebook em 2011 e de lá para cá tem se tornado uma importante comunidade de entusiastas do código aberto, o que é totalmente contrário ao modelo de negócios da Microsoft, que defende que o software é uma propriedade intelectual e jamais deve ser compartilhado.

Embora a Microsoft possa oferecer seus serviços e servidores aos entusiastas, o maior trunfo da companhia está no fato de que poderá utilizar as especificações e melhores práticas que são compartilhadas pelos entusiastas do projeto. Com elas, a empresa poderá otimizar seus servidores, tornando-os mais eficientes e inovadores. No entanto, para fazer uso dessas informações, a Microsoft também teve que fornecer informações sobre seus servidores.

"As especificações dos servidores na nuvem da Microsoft fornecem informações essenciais sobre os data centers que desenvolvemos até aqui e que hospedam um diverso leque de serviços na nuvem", disse Bill Laing, vice-presidente corporativo da divisão de nuvem e negócios da Microsoft. Além da Microsoft, o Facebook é a única empresa de serviços na nuvem que compartilha informações publicamente no projeto.

"Agora que faz parte do projeto, a companhia de Bill Gates espera conseguir entender a comunidade do Linux e do software livre, como eles funcionam e as melhores práticas que adotam", disse Moorhead. É difícil dizer se a empresa conseguirá aproveitar adequadamente essa oportunidade, mas poderemos começar a descobrir isso na Open Compute Summit, encontro que reunirá a comunidade em São José, Califórnia, nesta semana.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.