Microsoft: 'Google está boicotando o Windows Phone'

Por Redação | 16 de Agosto de 2013 às 13h03

Apenas dois dias após relançar o seu aplicativo do YouTube para Windows Phone, a Microsoft viu o Google bloqueá-lo novamente. Essa foi a gota d'água para que a empresa de Redmond colocasse a boca no trombone para dizer que o Google está tentando "boicotar" seu sistema operacional móvel.

A explicação da possível conspiração do Google contra o Windows Phone foi declarada por David Howard, vice-presidente corporativo e vice-diretor jurídico da Microsoft, no blog corporativo da empresa. A história é basicamente a seguinte: em maio, a Microsoft lançou uma versão melhorada do aplicativo do YouTube para Windows Phone, mas o Google questionou uma série de itens e a empresa precisou tirá-lo do ar para tentar adequar o app aos padrões impostos pelo gigante da Internet.

"Nós tiramos nosso app do ar e concordamos em trabalhar com o Google para resolver as questões deles. Nesta semana, depois de endereçar cada um dos pontos do Google, nós relançamos o app, apenas para que fosse tecnicamente bloqueado pelo Google", escreveu o executivo.

Na primeira vez, o Google reclamou para a Microsoft sobre a capacidade do app para Windows Phone baixar vídeos para o dispositivo, bem como a prevenção de anúncios. Aplicativo fora do ar, melhorias feitas. Porém, na segunda vez, o Google diz que: "A Microsoft não fez as atualizações do navegador necessárias para permitir uma experiência totalmente caracterizada do YouTube, e, em vez disso, relançou um aplicativo do YouTube que viola nossos Termos de Serviço", disse um porta-voz ao The Verge.

Porém, a Microsoft discorda dessa explicação. Para a empresa, o problema é que o aplicativo não foi desenvolvido em HTML 5 – uma condição que nem o próprio Google seria capaz de cumprir atualmente. "O Google pediu que nós migrássemos o código do nosso aplicativo para uma nova linguagem – HTML5. Isso foi um pedido estranho, porque nem a versão para Android e nem a versão para iPhone do YouTube são feitas em HTML5", explica Howard no blog da empresa.

Mesmo achando o pedido estranho, a empresa resolveu tentar examinar essa possibilidade, mas ela alega que no final das contas, especialistas de ambas as empresas reconheceram que realizar essa tarefa seria tecnicamente difícil e levaria muito tempo. Foi aí que a Microsoft decidiu lançar sua versão do app não baseada em HTML 5, "comprometendo-se a trabalhar com o Google a longo prazo em um aplicativo baseado em HTML5". O executivo alega que "os obstáculos estabelecidos pelo Google são impossíveis de superar, e eles sabem disso".

"Acreditamos que está claro que o Google não quer que os usuários de Windows Phone tenham a mesma experiência dos usuários do Android e da Apple, e suas objeções são nada mais que desculpas. Todavia, estamos empenhados em oferecer aos nossos usuários a experiência que eles merecem, e ficaremos felizes em trabalhar com o Google para resolver quaisquer preocupações legítimas que eles tiverem. Enquanto isso, mais uma vez solicitamos ao Google que pare de bloquear nosso aplicativo do YouTube", finalizou Howard.

Vale ressaltar que essa não é a primeira vez que a Microsoft aponta o dedo para o Google e sugere possíveis boicotes à sua plataforma móvel.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.