Microsoft lança campanha contra o Google alegando questões de privacidade

Por Redação | 07.02.2013 às 12:47

A Microsoft ampliou seus ataques contra o gigante das buscas criando uma campanha chamada 'Don't Get Scroogled by Gmail', onde tenta convencer os usuários do serviço de e-mail do Google a migrarem suas contas para o Outlook.com, usando como arma questões de privacidade.

A empresa aborda uma velha discussão acerca do serviço de e-mail gratuito do Google, que utiliza o conteúdo de todas as mensagens enviadas ou recebidas da conta do usuário para determinar anúncios relevantes e colocá-los ao lado dessas mensagens.

No Scrooled, o Outlook.com ainda pede para que os consumidores se juntem a uma petição para pedir que o Google pare de visualizar seus e-mails para vender anúncios.

Scroogled

A Microsoft diz que um estudo encomendado por ela descobriu que 70% dos consumidores entrevistados não tinham conhecimento de que os grandes provedores de email costumam ler seus e-mails para vender anúncios, e que quase 90% desaprovou a prática.

"Outlook.com acredita que a sua privacidade não está à venda. Nós acreditamos que as pessoas devem ter escolha e controle sobre suas mensagens de e-mail privadas, se elas estão compartilhando informações bancárias, fotos de sua família ou discutindo seu histórico médico", disse Stefan Weitz, diretor sênior de serviços online da Microsoft, em um comunicado.

A publicidade é algo que mantém o Google e muitos outros sites e serviços da companhia gratuitos. Em sua defesa o Google enviou um comunicado, que foi divulgado pelo TechWorld, dizendo que "nenhum ser humano lê seus e-mails ou informações da conta do Google a fim de mostrar anúncios relacionados a eles. Um algoritmo automatizado - semelhante ao usado para definir as mensagens na Caixa de Prioridades ou filtrar spams - determina quais anúncios serão exibidos."

No final do ano passado, a Microsoft lançou o site 'Scroogled', para chamar a atenção dos internautas para aquilo que a empresa entende como práticas desleais do serviço Google Shopping. Agora, ela utiliza o domínio para atacar o Gmail.