Microsoft estaria prestes a iniciar nova onda de demissões

Por Redação | 17.09.2014 às 12:39
photo_camera Divulgação

As mudanças internas na Microsoft e sua união à Nokia já resultaram na demissão de milhares de funcionários de escritórios e fábricas mundiais da companhia, afetando gente desde o chão de fábrica até cargos executivos. Agora, fontes internas indicam que uma nova rodada de dispensas deve acontecer em breve, atingindo mais cinco mil funcionários a partir desta quinta-feira (18).

Trata-se de mais uma etapa da integração entre as duas companhias, que está reorganizando sua estrutura e se remontando para melhor enfrentar os desafios do mercado. De acordo com as informações do ZDNet, a intenção é que esse processo acabe resultando na demissão de 18 mil pessoas. A nova leva, então, é algo esperado, já que muitos dos que devem deixar a empresa não foram notificados em junho.

Os números são imprecisos e a informação oficial era que, ao final do primeiro semestre de 2014, a Microsoft mandaria embora 13 mil pessoas, sendo que 12,5 mil delas trabalhavam diretamente para a Nokia. Mas o que acontece, de verdade, é que um número menor do que isso foi efetivamente dispensada, com a empresa preferindo aplicar a reestruturação em etapas, com a segunda prestes a começar agora.

A primeira leva de demissões teria sido realizada, principalmente, nos departamentos de testes. Trata-se de uma alteração organizacional, já que a Nokia mantinha engenheiros com essa finalidade trabalhando separadamente do pessoal que construía os celulares e implementava novas funções. Agora, sob a gestão da Microsoft, um único setor será responsável por todo esse processo, o que levou ao corte de boa parte dos funcionários que trabalhavam exclusivamente na experimentação.

Ao contrário da primeira onda, porém, esta segunda deve atingir todos os níveis hierárquicos da companhia, incluindo até mesmo diretores e alguns executivos. Não se sabe ao certo quantas pessoas perderão seus empregos nem de que forma a saída delas da companhia será negociada, mas a expectativa é que os números totais de dispensas não ultrapassem os 18 mil que foram planejados inicialmente pela companhia.

Por enquanto, a Microsoft não se pronunciou sobre a possível nova rodada de demissões. Em julho, foi falado que as dispensas não atingiriam as unidades brasileiras da companhia, já que o processo de reestruturação para união da companhia com a Nokia aconteceu antes por aqui, com as unidades sendo integradas previamente.