Microsoft confirma a demissão de 18 mil funcionários

Por Redação | 17.07.2014 às 13:52
photo_camera Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (17), o CEO Satya Nadella confirmou a demissão de 18 mil funcionários de diversos setores da Microsoft. Em comunicado oficial, ele afirma que mais informações sobre o caso serão reveladas nos próximos dias, mas que a onda de dispensas deve atingir principalmente os setores ligados à Nokia e sua incorporação à companhia, fruto do processo de compra encerrado em abril deste ano.

Segundo Nadella, os empregados afetados serão notificados com bastante antecedência ao longo dos próximos seis meses. Ele explica que, apenas nos segmentos nos quais a Nokia e a Microsoft se uniram, serão cerca de 12,5 mil demissões ao redor do mundo, com as dispensas restantes acontecendo até o final do ano e o começo do ano que vem.

O executivo deixa claro que, apesar da gigantesca quantidade de funcionários demitidos, novas posições estão sendo criadas em diversos setores. A ideia geral é aumentar a sinergia da empresa, que agora é maior, e reduzir os níveis de gerenciamento de forma a facilitar o processo de decisão e a aplicação de estratégias de trabalho. Isso indica que boa parte das saídas pode afetar executivos, e não funcionários de base.

O presidente da Microsoft diz também que cada um dos setores irá se mover em uma “velocidade” diferente e terá mudanças variadas. Assim, o que vale para um não necessariamente se aplica aos outros, e cabe ao diretor de cada segmento trabalhar junto a seus empregados de forma transparente e respeitosa no processo de dispensa e recolocação no mercado de trabalho.

Mudanças de nome

Ao final da carta, vieram também algumas pequenas informações sobre o futuro dos celulares da Nokia sob o comando da Microsoft. Como já se especulava, a marca deve “desaparecer”, com os smartphones passando a chegar ao mercado sob o nome de sua nova controladora.

Além disso, como já se especulava, alguns aparelhos da linha Nokia X serão “promovidos” para a linha Lumia. É uma prova do sucesso dos celulares com sistema operacional Android repaginado, criados para se tornar uma ponte entre os aparelhos de entrada e as soluções de valor mais alto oferecidas pela empresa. Agora, essa mudança se tornará ainda mais transparente.

Informações mais específicas

A carta de Satya Nadella pode não ter revelado muitas informações detalhadas sobre as demissões, mas Stephen Elop, ex-Nokia e atual diretor do segmento de dispositivos da Microsoft, também publicou um email aos funcionários de seu departamento. Mostrando total apoio às decisões da empresa, como não poderia deixar de ser, o executivo disse que o novo alinhamento tem seu segmento como principal foco.

Segundo ele, os planos de lançamento e desenvolvimento de produtos não devem ser afetados, mas que, sob a Microsoft, o papel dos smartphones é diferente daquilo que era visto na Nokia. Trata-se, agora, de uma categoria integrada aos dispositivos digitais da companhia e uma maneira de gerar mais valor à empresa como um todo – ao contrário do que acontecia anteriormente.

Assim, o foco agora é garantir um aumento nas vendas dos celulares com Windows Phone e alinhar os lançamentos com o restante da estratégia da companhia. É por isso que os setores fundidos serão os principais afetados pelas demissões, mas mudanças "limitadas" também devem acontecer nos departamentos responsáveis por relações públicas, desenvolvimento de produtos de nova geração e aqueles responsáveis pelo Surface e consoles da linha Xbox.

Elop confirmou o número de 12,5 mil demissões em posições relacionadas aos processos de fabricação, venda e divulgação de aparelhos da Nokia. Além disso, ele também repetiu as palavras de Nadella sobre uma transição transparente e com foco no auxílio aos funcionários demitidos nesse processo.