Microsoft compra divisão de dispositivos da Nokia por 5,44 bilhões de euros

Por Redação | 03 de Setembro de 2013 às 02h41

Acabaram os rumores. Depois de muita especulação, a Microsoft finalmente anunciou oficialmente, no início da madrugada desta terça-feira (3), a compra da divisão de aparelhos e serviços da companhia finlandesa Nokia. O negócio deve movimentar cerca de 5,44 bilhões de euros e, apesar do baixo valor, é um dos acordos mais significativos da história da indústria de tecnologia.

Se quisermos dar a devida proporção à venda, basta pensar que o Google pagou US$ 1 bilhão pelo Waze, empresa que produziu apenas um aplicativo de trânsito, e que o Facebook investiu o mesmo valor para garantir o Instagram. Apesar dos números decepcionantes nos últimos anos, a Nokia tem um repertório muitíssimo maior do que as citadas. Logo, não há dúvidas de que se trata de uma pechincha.

De acordo com a Microsoft, fundos aplicados no exterior serão usados para fazer o pagamento, e o valor será pago inteiramente em dinheiro. A transação deverá ser concluída no primeiro trimestre de 2014, se for devidamente aprovada por agências reguladoras e acionistas de ambas as empresas.

“Com o compromisso e recursos da Microsoft para levar os aparelhos e serviços da Nokia para frente, agora entendemos o potencial completo do ecossistema do Windows, oferecendo as experiências mais completas para as pessoas em casa, no trabalho e em qualquer lugar”, escreveram em carta conjunta o presidente executivo da Microsoft, Steve Ballmer, e o presidente executivo da Nokia, Stephen Elop.

Vale lembrar que, antes do boom dos smartphones, a Nokia foi por muitos anos a maior fabricante de celulares do mundo, e que, apesar da crise recente, a companhia ainda é uma das mais importantes no setor de tecnologia europeu. Uma matéria da Forbes estipula que, nos seus anos dourados, a companhia já chegou a valer nada menos que 110 bilhões de euros. Muito abaixo dessa cifra, o valor pago pela compra da divisão da Nokia foi de 3,79 bilhões de euros, com 1,65 bilhão adicional pelo enorme acervo de patentes (móveis, na maioria) da empresa.

É preciso notar também que o atual CEO da Nokia, Stephen Elop, foi o primeiro não-finlandês a assumir o comando da companhia. Antes, entre 2008 e 2010, Elop trabalhou justamente na Microsoft, sendo responsável pela sua divisão de negócios, cuidando de produtos importantes como o pacote Office. Em setembro de 2010, Elop assumiu a Nokia no lugar de Olli-Pekka Kallasvuo. A contratação causou enorme polêmica no mercado, principalmente pelo fato de que Elop ainda detinha uma parte significativa das ações da sua ex-empregadora. As suspeitas de que o executivo ainda cultivava laços fortes com a Microsoft só viriam a se confirmar com o tempo, e o maior exemplo disso é a Nokia ter adotado o até então incipiente Windows Phone como o sistema operacional dos seus smartphones.

Com a venda da divisão da Nokia, Elop deixa o cargo de CEO e volta a ser um funcionário da Microsoft, uma trajetória no mínimo suspeita. Ele comandará a divisão de dispositivos da empresa norte-americana. Risto Siilasmaa será o CEO provisório da finlandesa. Se a mudança ainda for pouca para você, lembre que o cargo de CEO na Microsoft logo ficará vago novamente, já que Ballmer anunciou que sairá nos próximos doze meses. Antes de todo o rebuliço da compra da Nokia, Elop era visto pela imprensa como um dos mais cotados para o posto.

Por fim, a transação bilionária significa para a Microsoft uma maior integração entre a produção de software e hardware, possibilitando a criação de produtos em que os dois fatores entrem em real sinergia, como já acontece com a Apple e como ensaia o Google (que comprou a Motorola).

Confira na íntegra a carta de Steve Ballmer aos funcionários da Microsoft:

"Nós anunciamos boas notícias hoje : Firmamos um acordo para adquirir dispositivos e serviços de negócios da Nokia , que inclui seus negócios smartphone e móveis, a sua equipe premiadade design, manufatura e montagem em todo o mundo mundo, bem como as equipes dedicadas a operações , vendas, marketing e suporte.

Para a Microsoft, este é um passo ousado em direção ao futuro e a próxima grande fase da transformação , anunciada em 11 de julho,

Estamos muito entusiasmados com a proposta de trazer os melhores esforços de dispositivos móveis da Microsoft e Nokia juntas. Nossa parceria Windows Phone ao longo dos últimos dois anos e meio rendeu um trabalho incrível - o deslumbrante Lumia 1020 é um grande exemplo. Nossa parceria também rendeu um crescimento incrível. Na verdade, os Nokia Windows Phones são os que mais crescem telefones no mercado de smartphones.

Agora é a hora de aproveitar esse momento e acelerar a nossa parte e os lucros em telefones. Claramente, o maior sucesso com os telefones irá reforçar a oportunidade global para nós e nossos parceiros para entregar a nossa estratégia para criar uma família de dispositivos e serviços para pessoas e empresas que capacitam pessoas ao redor do mundo, em casa, no trabalho e em movimento, para as atividades que eles mais valorizam.

Divulgamos a lógica estratégica da Microsoft para esta transação em uma apresentação que eu encorajo você a ler.

Esta é uma aquisição inteligente para a Microsoft, e um bom negócio para ambas as empresas. Estamos recebendo incrível talento , tecnologia e IP. Nós todos vimos o fantástico trabalho que Nokia e Microsoft têm feito juntos.

Dada a nossa longa parceria com a Nokia e os muitos líderes importantes Nokia que estão se juntando a Microsoft, esperamos uma transição suave e grande execução.

Como é sempre o caso de uma aquisição, a primeira prioridade é manter a condução da conclusão da compra, o que podemos esperar no primeiro trimestre de 2014 , após a aprovação pelos acionistas da Nokia, aprovações regulatórias e outras condições de fechamento.

Mas também sei que as pessoas vão ter algumas dúvidas sobre o que acontece pós-fechamento. Embora os detalhes não sejam finais, aqui está o que sabemos, e como estamos nos aproximando no geral nessa integração:

1. Stephen Elop vai voltar para a Microsoft, e ele vai levar uma equipe de Dispositivos expandida, que inclui todos os nossos dispositivos atuais e a equipe Studios e a maioria das equipes que vêm da Nokia , reportando-se a mim.

2. Julie Larson-Green vai continuar a executar os dispositivos e sua equipe Studios, e terá foco em grandes lançamentos, como o Xbox e as nossas melhorias superfície. Julie vai se juntar a equipe de Stephen uma vez que a aquisição for concluída, e vai trabalhar com ele para moldar a nova organização.

3. Como parte da aquisição, um número de líderes de engenharia vai se juntar a Microsoft da Nokia, Stephen reportando-se na sua nova função :

· Jo Harlow, que continuará a liderar a equipe Smart Devices

· Timo Toikkanen, que continuará a liderar a equipe celulares

· Stefan Pannenbecker, que vai liderar o setor de design

· Juha Putkiranta, que vai liderar o esforço de integração em nome da Nokia

4. Em relação à equipe de vendas, que pretende manter a equipe de campo Nokia , liderada por Chris Weber, intacta e como o nexo do esforço de vendas de dispositivos , para que possamos continuar a construir o impulso das vendas . Depois que o negócio se concretize, Chris e sua equipe serão colocados sob a liderança de Kevin Turner. Vamos desenvolver uma única equipe integrada que está vendendo às operadoras, e pode haver outras oportunidades de integração que possamos prosseguir. Kevin irá trabalhar com Chris Weber e Chris Capossela para fazer esses planos.

5. Nossa equipe sistema operacional sob Terry Myerson continuará inalterada, com a missão de apoiar tanto first-party e inovação de hardware de terceiros. Estamos comprometidos a trabalhar com os parceiros, ajudando-os a construir grandes produtos e grandes empresas em nossa plataforma, e acreditamos que este acordo vai aumentar a nossa proposta de valor parceiro ao longo do tempo. Os ritmos estabelecidos e as formas de trabalho entre Terry e sua equipe e da equipe Nokia entrada nos servirão bem para garantir que não interrompam o impulso.

6. Estamos planejando integrar todo o marketing global sob a direção de Tami Reller e Mark Penn. É muito importante que busquemos uma marca unificada e estratégia de publicidade mais rapidamente possível.

7. Finanças, Jurídico, Recursos Humanos, Comunicações, DX / Evangelismo, Atendimento ao Cliente e Desenvolvimento de Negócios vão se integrar funcionalmente à Microsoft. Recursos, logística e cadeia de suprimentos dos clientes farão parte da organização de Dispositivos de Stephen. ICM/TI vai também se integrar funcionalmente aos papéis tradicionais de TI. Precisaremos trabalhar com as implicações das diferenças de processos e sistemas de produção, tanto a Nokia, como a Microsoft.

8. Pretendemos perseguir um único conjunto de serviços de apoio para os nossos dispositivos, e nós vamos descobrir como combinar os grandes esforços da Nokia em nossos serviços da Microsoft, como nós atravessamos o processo de integração.

9. Não há planos significativos para mudar onde o trabalho é feito em todo o mundo à medida que nos integramos, por isso esperamos que as equipes Nokia para ficem em grande parte no lugar emque estão, geograficamente.

10. Tom Gibbons irá liderar o trabalho de integração para Microsoft.

Enquanto o anúncio de hoje é uma grande notícia, temos que ficar fortemente focados na gestão do negócio atual. Temos uma enorme queda e temporada de férias pela frente, por isso precisamos de executar com perfeição e continuar a conduzir o nosso negócio para a frente. Não tenho dúvidas de que faremos isso.

Steve"

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.