MercadoPago, agora, está de olho nas lojas físicas

Por Redação | 20.11.2014 às 15:20

O site de classificados Mercado Livre anunciou planos de expandir seu sistema de pagamentos web MercadoPago para as lojas físicas de todo o Brasil a partir de 2015, concorrendo com sistemas já estabelecidos como o PagSeguro do UOL e o iZettle do Santander.

Assim como os sistemas concorrentes, o MercadoPago deverá funcionar por meio de um aparelho leitor de cartões acoplado a um smartphone ou tablet e gerenciado por um aplicativo, que foi lançado em caráter de testes e aceita todos os cartões de crédito e débito brasileiros, com parcelamento em até 12 vezes.

De acordo com a agência de notícias Reuters, o Mercado Livre oferecerá uma API de desenvolvimento para integração do MercadoPago a serviços de terceiros (como o Easy Taxi, que já oferece o MercadoPago a seus clientes através dessa API).

Também está nos planos do Mercado Livre a possibilidade de utilizar o MercadoPago como carteira digital, permitindo que se execute pagamentos e transferências gratuitamente, desde que ambas as partes estejam dentro do ambiente do serviço. Também será possível enviar dinheiro para contas bancárias, mas neste caso será cobrada uma taxa de três reais por transferência.

O foco do MercadoPago será o micro e pequeno empreendedor, cobrando 4,99% de taxa sobre as vendas feitas através do serviço (mesma taxa cobrada nas vendas via internet). O presidente do MercadoPago no Brasil, Marcelo Coelho, afirmou que deseja incentivar seus 7 milhões de vendedores únicos a aproveitar o novo serviço, sendo esta a base principal de expansão do MercadoPago. "É o que vai mover a agulha do nosso crescimento para o futuro", afirmou em entrevista à Reuters.

Mesmo ainda estando restrito ao ambiente web, o MercadoPago é referência no Brasil e na América Latina. O serviço registrou no ano passado 31,5 milhões de transações comerciais e movimentou 2,5 bilhões de dólares no mesmo período. Entretanto, empresas como Amazon, Apple e PayPal também estão com planos de expansão, o que deverá ser motivo de preocupação para o MercadoPago.