Mercado mobile é boa oportunidade para quem quer crescer

Por Colaborador externo | 30 de Setembro de 2014 às 15h35
BRUNO HYPOLITO / CANALTECH

por Lucas Longo*

Um dos maiores historiadores já conhecidos, Nicolau Maquiavel, disse certa vez que “empreendedores são aqueles que entendem que há uma pequena diferença entre obstáculos e oportunidades e são capazes de transformar ambos em vantagem”. Acredito que essa deve ser uma das máximas para quem está em busca do sucesso e reconhecimento profissional. Afinal, por mais que seus negócios sejam promissores, todo mundo passa ou ainda irá passar por momentos de dificuldades. Seja por fatores internos ou externos, é sabido que as crises existem e saber lidar com isso é fundamental para não deixar os planos irem por água abaixo.

Em 2014, uma série de fatores econômicos e sociais está contribuindo para que a ideia de uma possível crise assombre a vida de muita gente. Independente de quais sejam os motivos, fato é que a economia brasileira diminuiu 0,6% no 2° trimestre de 2014 segundo o IBGE. Para as empresas, isso pode implicar em paralisação das vendas e consequente estagnação do crescimento. É por esse motivo que muita gente está em busca de capacitação, a fim de melhorar suas habilidades e se tornar mais atrativa para o mercado. O setor mobile é um bom exemplo disso. Venho observando que muitos desses profissionais estão investindo em atualização profissional, não só em busca de estabilidade, mas também de novas oportunidades.

Assista Agora: Descubra o jeito certo de criar verdadeiros times de alta-performance e ter a empresa inteira focada em uma única direção.

Embora não seja uma área nova no Brasil, os últimos dez anos foram cruciais para o mercado mobile, principalmente por causa do crescimento dos smartphones e aplicativos. Por isso, muitos estão encontrando na mobilidade oportunidades de crescimento profissional, principalmente porque a demanda por esse especialista cresceu nas empresas, mas o número de profissionais habilitados, não. O ManPower Group fez uma pesquisa em 42 países para analisar quais eram os profissionais mais em falta no mercado. Em 26 deles o especialista de tecnologia estava entre os dez primeiros.

No Brasil, o cenário é ainda mais promissor para o profissional mobile capacitado. Um estudo feito pela consultoria IDC aponta que a demanda por esse especialista no país excederá a oferta em 32% até 2015, gerando uma lacuna de 117.200 profissionais. Sendo assim, aqueles que têm conhecimentos avançados de programação e em desenvolvimento estão sendo disputados pelas empresas, que oferecem salários que chegam até R$ 20 mil.

Tenho observado que muitos jovens optam pela carreira de desenvolvedor por ser uma extensão do seu hobby, afinal, atuando nessa área eles podem trabalhar com games, apps, design e várias outras interfaces que fazem parte do cotidiano da geração Y. Mas não é difícil encontrar pessoas mais velhas que procuram especialização para obter uma renda extra e com o tempo acabam escolhendo trabalhar em tempo integral com isso. Embora a ideia de programar possa parecer difícil, com esforço e comprometimento você pode chegar lá.

Quando me perguntam se a carreira de desenvolvedor irá trazer retorno financeiro, digo que assim como qualquer outra área é preciso estar preparado e antenado ao que acontece no mercado. Uma pesquisa feita pela Forbes aponta que Ciência da Computação e Engenharia de Software estão entre os cursos de graduação mais promissores para os próximos anos.

É claro que nenhum mercado é imune a crises. Mas o profissional que estiver preparado e buscar capacitação nos diferentes sistemas operacionais dificilmente terá problemas em conquistar o seu lugar ao sol.

* Lucas Longo, CEO e fundador do iai? (Instituto de Artes Interativas) – centro de treinamento referência em mobile.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.