Mercado de PCs tem queda de 25% no Brasil

Por Redação | 18 de Dezembro de 2014 às 17h23

O Brasil continua seguindo as tendências mundiais de tecnologia e, no terceiro trimestre de 2014, registrou uma queda de 25% nas vendas de PCs. O total de 2,6 milhões de máquinas vendidas entre os meses de julho e setembro deste ano está abaixo do que foi registrado no mesmo período de 2013 e aparece em um estudo da IDC, consultoria especializada em números sobre o mercado nacional.

Do total de computadores vendidos, 62%, ou 1,6 milhão, eram notebooks. Esse segmento também apresentou queda de 23% em relação ao ano passado e é o indício do comportamento que vem causando retração no mercado. Os usuários, cada vez mais, estão preferindo as tecnologias portáteis em vez das máquinas que os deixam presos à mesa. Só que, aqui, o crescimento é visto no setor de smartphones e tablets, enquanto os PCs ficam cada vez mais de lado na hora da compra.

Os resultados já eram esperados pelo IDC e também pelo mercado. Os números colocam o Brasil na sétima posição entre os maiores consumidores de PCs do mundo. No terceiro trimestre do ano passado, o país estava em quinto, mas agora, foi ultrapassado pelo Reino Unido e Índia, enquanto os Estados Unidos permanecem na primeira colocação.

Para Pedro Hagge, analista de pesquisa da IDC, os resultados negativos neste terceiro trimestre já eram esperados. A aproximação das eleições impacta diretamente na compra de computadores para o setor público. Como o mercado corporativo permanece como a grande força para movimentar o segmento, essa redução nas aquisições tem efeito direto sobre os números do setor.

Além disso, claro, é imprescindível citar a concorrência com os smartphones e tablets, que vêm tendo a preferência dos usuários na hora da compra de um produto para acesso às redes sociais e internet. Hagge cita ainda a vida útil maior de computadores e notebooks em relação aos aparelhos mobile, o que retarda o processo de troca e atualização de equipamentos.

No quarto trimestre, porém, a expectativa é que os números voltem a crescer. As promoções da Black Friday e a temporada de compras de Natal leva mais gente a adquirir computadores novos, mas o aquecimento ainda deve ser menor que o dos anos anteriores, e nada comparado ao mundo mobile.

Para 2015, porém, a expectativa é de um pequeno crescimento, na casa de 1%, revertendo pela primeira vez a sequência de quedas que vem sendo registradas desde 2011. Aqui, os notebooks conversíveis devem ser o principal motor, já que fazem as vezes de tablet e computador, com um poder de processamento maior que deve atrair uma boa parcela de consumidores.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.