Mark Pincus, da Zynga, é considerado quarto pior CEO no ano de 2012

Por Redação | 19 de Dezembro de 2012 às 13h05

Os problemas financeiros da Zynga, a demissão de muitos funcionários, o fim da parceria com o Facebook e das atividades de alguns estúdios ao redor do mundo marcaram o ano de 2012 para a empresa. E a situação não é das melhores para Mark Pincus, atual CEO da produtora de jogos sociais, que foi considerado recentemente o quarto pior presidente do ano.

A lista, que começou a ser publicada há três anos pelo professor universitário Sydney Finkelstein, é liderada por Brian Dunn que se demitiu da Best Buy em abril deste ano. No segundo lugar está Aubrey McClendon, da Chesapeake Energy, seguida de perto pela ex-presidente da Avon, Andrea Jung, que deixou seu cargo também em abril de 2012.

Finkelstein afirmou ao Washington Post que 2012 foi um "verdadeiro desastre para Pincus". "As ações de sua empresa caíram 70% neste ano, houve um grande exôdo de executivos e Pincus liderou uma aquisição de US$ 180 milhões (R$ 376 milhões) que forçou uma baixa contábil de 50% no preço de compra em alguns meses. A Zynga tem contado quase que inteiramente com o Facebook para a distribuição de seus jogos, o tipo de dependência que nenhum futuro CEO gostaria. O recente anúncio de que as duas empresas se separaram para criar novas parcerias destaca a vulnerabilidade desta estratégia", explicou o professor.

Mark Pincus

Reprodução: CNET

Depois de levantar US$ 1 bilhão (R$ 2 bilhões) em sua oferta pública inicial em dezembro de 2011, desde março deste ano a Zynga tem sofrido constante queda no valor de suas ações. Os papéis fecharam em US$ 2,38 (R$ 4,97) nesta terça-feira (18), valor muito baixo em comparação a seu pico de US$ 15,91 (R$ 33,25) por ação há 52 semanas.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.