Mais otimista do que nunca, BlackBerry está de volta à ativa

Por Redação | 05 de Agosto de 2014 às 15h35

Parece que a agonia da BlackBerry em se reestruturar e voltar aos eixos finalmente acabou. O longo processo de recuperação da empresa a colocou de volta nos trilhos e, agora, segundo um memorando interno enviado a todos os seus funcionários e revelado pela Reuters, está novamente em pé de crescimento.

"Completamos o processo de reestruturação, e aquela redução na mão de obra que começou há três anos ficou para trás", disse o CEO John Chen no memorando que foi enviado nesta sexta-feira (1). "O mais importante: para impedir quaisquer crises inesperadas no mercado, vamos inserir contagens em certas áreas da empresa, como desenvolvimento de produtos, vendas e atendimento ao cliente, começando por números mais modestos", revelou o executivo, que agradeceu àqueles que se mantiveram na companhia durante todo o processo.

O CEO observou ainda que a BlackBerry está agora em uma posição favorável para fazer aquisições estratégicas para fortalecer algumas áreas que serão essenciais para o crescimento de sua receita. Tanto que, na última semana, a companhia anunciou um acordo desse tipo para adquirir a SecuSmart, uma empresa alemã de capital fechado especializada em criptografia de voz e dados. Isso mostra o foco da BlackBerry em manter o que sempre foi seu carro chefe: a segurança e a proteção de dados.

No memorando, Chen deixou claro que "não há margem de erro para que a BlackBerry complete sua reviravolta em busca do sucesso" e ainda pediu aos funcionários para que permanecessem focados, enquanto a companhia desenvolve uma atualização para seu sistema de gerenciamento de dispositivos, bem como os novos smartphones Passport e Classic.

Leia também:

No documento, ele ainda contou aos funcionários que acredita que a BlackBerry está de volta ao jogo para recuperar seu lugar ao sol. Também afirmou que está confiante que a companhia vai alcançar seu objetivo e manter seu saldo positivo até o final do ano fiscal atual.

No passado

A BlackBerry reduziu sua força de trabalho em cerca de 60 por cento nos últimos três anos, em uma tentativa de se reinventar em um mercado cada vez mais competitivo. A empresa, que dominava o mercado de smartphones há algum tempo, viu suas vendas sucumbirem drasticamente ao longo dos últimos quatro anos. Os grandes culpados pela diminuição catastrófica da participação de mercado da BlackBerry foram o iOS e os iPhones da Apple e os dispositivos que rodam o grande rival Android, do Google.

Chen, que tomou as rédeas da BlackBerry há cerca de oito meses, traçou rapidamente uma nova estratégia para estabilizar a empresa, apostando na venda de ativos não-essenciais, criando parcerias para tornar o setor de fabricação e a cadeia de suprimentos da empresa mais eficientes e levantando verbas a partir da venda de participações imobiliárias da companhia em Waterloo, sua cidade sede, em Ontário, Canadá. E ele pretende continuar no setor e se consagrar um grande competidor no mercado de smartphones.

O executivo já é reconhecido no mercado de tecnologia por ter conseguido fazer outras empresas darem a volta por cima, como é o caso da Sybase Inc., fabricante de software que voltou à ativa no final da década de 1990. E agora, como estratégia de negócio, pretende fazer a BlackBerry voltar a ser referência em segurança de dados e gestão de dispositivos móveis, pontos fortes da companhia no passado.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.