Maior câmbio de Bitcoins entra com pedido de falência

Por Redação | 28 de Fevereiro de 2014 às 12h50

Em uma conferência de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira (28) no Japão, o CEO do MtGox, Mark Karpeles, anunciou a abertura de um pedido de proteção de falência para um dos maiores câmbios de Bitcoins do mundo. Os problemas começaram no início da semana, com o fechamento do exchange e a descoberta do roubo de mais de 850 mil criptomoedas, um rombo equivalente a R$ 1,2 bilhão.

Os números, inclusive, foram atualizados durante o encontro. Inicialmente, acreditava-se que 750 mil Bitcoins teriam sido roubadas, mas esse número se refere apenas ao dinheiro virtual correspondente aos clientes. Outras 100 mil moedas pertencentes ao próprio MtGox também foram furtadas, em um trabalho que se estendeu ao longo de vários meses e se aproveitava de uma falha de segurança nos sistemas da empresa.

Em declarações feitas aos jornalistas e reproduzidas pela agência Reuters, Karpeles mostrou grande preocupação em separar as falhas na operação do MtGox das Bitcoins em si. Segundo ele, a indústria das moedas virtuais é extremamente saudável e segura, e ele se mostrou confiante de que ela continuará a prosperar mesmo com a quebra do exchange.

O pedido de proteção de falência refere-se a uma reorganização financeira da instituição, que tem seus bens protegidos pela justiça enquanto se prepara para pagar as dívidas. De acordo com o advogado do MtGox, também presente na conferência, a empresa tem hoje cerca de US$ 63 milhões em débitos, mas possui patrimônio para saldar metade disso.

Mesmo assim, Karpeles afirmou que gostaria de ver sua companhia de volta aos trilhos, mas admitiu que a falha de segurança pode ter minado para sempre a confiança dos usuários no MtGox.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.