Lucro da Lenovo cresce quase 29% e alcança US$ 817 milhões

Por Redação | 22 de Maio de 2014 às 10h30

A Lenovo, maior fabricante de computadores do mundo e a quarta no ranking de celulares inteligentes, teve alta de quase 29% no lucro líquido no último ano fiscal, encerrado em março. De acordo com informações da Reuters e da BBC, os números da companhia chinesa foram impulsionados principalmente pelas fortes vendas de smartphones, que ajudaram a compensar a baixa venda de PCs.

A empresa cresceu 28,7% e alcançou um recorde de US$ 817 milhões no lucro líquido até março – resultado condizente com a estimativa média de 34% feita por analistas. A divisão de computadores também registrou alta de 17,7%, enquanto o resto da indústria continua em declínio (8% no mesmo período). No total, a receita da companhia cresceu 14,3% e saltou para US$ 38,7 bilhões.

"O recorde em vendas e no lucro líquido que conquistamos em nosso último ano fiscal prova que a Lenovo pode crescer e cumprir seus compromissos [na indústria de PCs], não importa as condições do mercado", afirmou em comunicado o chairman e chefe-executivo da empresa, Yuanqing Yang. Segundo a Lenovo, foram vendidos 50 milhões de smartphones e 9,2 milhões de tablets no último ano.

Yang destaca que uma leve queda nas vendas na China foi compensada por um crescimento fora do mercado doméstico da Lenovo, particularmente em países da Europa, Oriente Médio, África e Américas. No último quarto trimestre fiscal, as vendas de computadores da Lenovo ultrapassaram a Apple pela primeira vez, fazendo com que a gigante chinesa conquistasse 10% de participação no segmento. Além disso, a empresa também está se superando na indústria de smartphones – as vendas cresceram quase 60% no último trimestre de 2013, superando a média do mercado mundial, que foi de 28%.

Isso explica a aquisição da Motorola Mobility no começo deste ano por US$ 2,91 bilhões. A companhia norte-americana, que antes pertencia ao Google, está se reerguendo no cenário de telefonia móvel com a presença dos smartphones Moto X, Moto G e do recém-anunciado Moto E, um celular de entrada de R$ 599 voltado para países emergentes. No entanto, a Lenovo ainda não sinalizou oficialmente quando irá lançar novos aparelhos em conjunto com a Motorola.

No Brasil, os negócios da Lenovo também estão em crescimento. Em entrevista recente, Dan Stone, vice-presidente da empresa e gerente para a América Latina, disse que o país é "um dos mercados de eletrônicos mais promissores do mundo e apresenta uma ampla diversidade de perfis de consumidores que estão cada vez mais interessados nas mudanças tecnológicas". O executivo ainda confirmou que uma nova linha de dispositivos no segmento premium será lançada em território nacional em outubro.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.