Rumor: Livraria Saraiva pretende vender suas operações de comércio eletrônico

Por Redação | 31 de Outubro de 2012 às 14h58

Três fontes do setor afirmaram nesta terça-feira (30) à Agência Reuters que a Livraria Saraiva está tentando vender suas operações de comércio eletrônico, que contam com o segmento ainda novo, porém promissor, de livros eletrônicos, ou eBooks.

Ao que tudo indica, a Saraiva pretende vender sua plataforma online para se focar na cadeia de 102 lojas físicas espalhadas pelo Brasil, além de sua editora, em busca de ampliar suas margens de negócios nesta área.

"A Saraiva está tentando vender suas operações online. Eles a ofereceram a outros varejistas", disse uma das fontes.

Segundo outra fonte, a empresa vem se preparando para ceder as vendas online há um bom tempo, pois deseja voltar à sua editora e às lojas físicas, que também comercializam CDs e DVDs.

Procurada pela imprensa, a Livraria Saraiva não comenta nada a respeito de suas especulações mercadológicas ou estratégias.

No Brasil, o maior acervo de livros digitais é de posse da Saraiva, e as vendas de eBooks estão cada vez melhores, visto que ainda é um segmento novo no país, mas que promete grande rentabilidade.

Rumores diziam que a Saraiva estaria interessada em novas oportunidades de negócios com a vindoura Amazon, gigante livraria norte-americana que está prestes a abrir suas portas no país. Mas, ainda neste mês de outubro, a Amazon afirmou que não havia nenhum tipo de negócio desta natureza.

O fato de a Amazon estar se preparando para entrar no Brasil coincidiu com a possibilidade de venda do negócio de comércio eletrônico da Saraiva. A Amazon, que pretende comercializar livros digitais e seu leitor Kindle no Brasil a partir do primeiro semestre de 2013 pode até ter sido procurada pela Saraiva há algum tempo, mas descartou qualquer negociação com a brasileira, segundo uma fonte próxima da Amazon.

No último dia 22, a Saraiva também negou qualquer negociação com a Amazon.

Já uma terceira fonte considerou a possibilidade de a Amazon se unir a uma varejista local bem instalada e com um mercado sólido como parte de um plano estratégico, buscando evitar problemas com logística.

"O principal desafio para a Amazon será, inicialmente, superar o obstáculo das editoras. Ao adquirir (as operações) da Saraiva, ela encurtaria essa distância de forma significativa", disse a fonte.

"Os ativos (da Saraiva) em termos de relacionamento com editoras e distribuidoras podem ser importantes para a Amazon", acrescentou outra fonte.

Craig Berman, porta-voz da Amazon, optou por não comentar o assunto, apesar de já termos ouvido rumores de que a Amazon teria interesses no portal Submarino, também de comércio eletrônico, aqui no Brasil, bem como em outras lojas virtuais.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!