LG tem novo diretor na divisão mobile

Por Redação | 27.11.2014 às 15:15
photo_camera Divulgação

Apesar de estar experimentando um ótimo ano, no qual seus grandes lançamentos fizeram bonito no mercado e atraíram grande atenção do público, a LG também está realizando mudanças em sua administração. Em um anúncio feito nesta quinta-feira (27), sai o atual diretor do setor mobile, Park Jong-Seok, que será substituído por Juno Cho, atual COO da companhia.

A mudança, de acordo com o site Phone Arena, tem a ver com manter um crescimento constante no segmento. A LG, como um todo, vem apresentando bons números em todas as suas divisões, mas a empresa quer ver sua parte mobile se sobressair do restante e, para isso, colocou para cuidar dela um executivo que é apontado como um dos grandes responsáveis pelo bom momento da marca.

Cho, por exemplo, atuou como diretor da LG na América do Norte em meados dos anos 2000, e tem uma bela reputação entre investidores e analistas por ter sido o homem que, justamente, ajudou a arquitetar o sucesso da companhia fora da Ásia. Agora, a expectativa é que ele faça o mesmo com a divisão de smartphones, marcando sua entrada em mercados de suma importância como o chinês, por exemplo, onde a fabricante ainda tem pouca penetração.

A mudança, na realidade, faz parte de um processo maior de alinhamento de estruturas e dança das cadeiras nos setores superiores da LG. Também houve mudança em seus setores de inovação, vendas e marketing. O antigo diretor da divisão mobile, Park, assume agora a posição de conselheiro de tecnologia, continuando envolvido com a produção de smartphones, mas também de outros produtos, além de prestar um papel auxiliar na criação e design de novos equipamentos.

Por fim, a LG está reduzindo sua estrutura interna em busca de diminuir os custos, unindo suas divisões de eletrodomésticos e ares-condicionados. Há, ainda, um movimento adicional no setor de B2B, com a nomeação de um diretor para liderar esse esforço e também um trabalho mais focado nas vendas a clientes corporativos dos setores de energia e serviços.