Pesquisa: falta de talentos é um dos maiores riscos para empresas no Brasil

Por Redação | 18 de Fevereiro de 2013 às 15h43

O risco de interrupção na cadeia de produção é o maior problema enfrentado por empresas no Brasil em 2013, revela o estudo "Allianz Risk Barometer 2013" realizado pela AGCS e publicado nesta segunda-feira (18). A pesquisa reuniu opiniões de 529 especialistas em seguros corporativos e industriais da seguradora sobre os riscos mais importantes que empresas em 28 países e diferentes setores podem enfrentar em 2013.

Citado por 37,5% das empresas no Brasil, a interrupção de negócios devido a riscos na cadeia de suprimentos se mostra como o primeiro entre os dez maiores problemas do país. Em ordem, seguem as catástrofes naturais (33,3%), incêndios e explosões (29,2%), oscilações de mercado (25%), mudanças na legislação (25%), falta de talentos e envelhecimento da população (16,7%), aumento da concorrência (16,7%), outros (16,7%), poluição (12,5%) e baixa qualidade de produtos (12,5%)

Também foram observados alguns riscos específicos do Brasil, como a falta de mão de obra qualificada e envelhecimento da população, que apareceu entre os dez maiores riscos no país, enquanto não foi citado entre as dez maiores preocupações globais.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ainda assim, o Brasil divide os três riscos considerados “tradicionais” (interrupção de negócios, catástrofes naturais e incêndios e explosões) com empresas globais, o que, segundo a pesquisa, aparece como um dos resultados do processo de globalização. “Com o crescimento, as corporações brasileiras passam a se integrar mais na economia global e, como consequência, enfrentam maiores riscos com a cadeia de suprimentos, com desastres naturais e, como revela o estudo, com a falta de mão de obra qualificada”, afirma Ângelo Colombo, presidente da AGCS Brasil.

O estudo concluiu ainda que as empresas subestimam os chamados riscos cibernéticos, como falhas de TI ocasionadas por erro humano ou por crime cibernético, com apenas 6% dos entrevistados estando cientes do risco. Outro problema que deve aumentar nos próximos anos está relacionado com a dependência da energia elétrica, devido ao avanço das tecnologias da informação, e o risco de apagões, que terão impactos maiores nas empresas. "A confiabilidade do fornecimento de energia vai diminuir no futuro por causa do envelhecimento da infraestrutura e da falta de investimentos substanciais", explica Michael Bruch, chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da AGCS.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.