Intel investe US$ 1,5 bilhão no mercado mobile

Por Redação | 26.09.2014 às 12:08
photo_camera Divulgação

Bastante consagrada no mercado de computadores, a Intel ainda patina quando o assunto é o segmento mobile, com grandes nomes como ARM e Qualcomm sempre estando na imprensa e nos interiores dos principais aparelhos. Mas, agora, a empresa está decidida a mudar esse cenário e, para isso, fez um investimento de US$ 1,5 bilhão em duas das maiores fabricantes de componentes da China.

A companhia adquiriu 20% de participação nas empresas Spreadturm Communications e RDA Microelectronics, segundo as informações oficiais. O negócio vai permitir que a Intel expanda sua base de produção de componentes SoC (system-on-chip), que garantem maior eficiência energética para celulares e tablets por trazerem boa parte das funções necessárias para funcionamento em um único dispositivo.

Além disso, a fabricante estaria de olho nos componentes de baixo custo fabricados pela Spreadtrum, que estarão, por exemplo, nos celulares com sistema operacional Firefox OS, da Mozilla. Para a companhia, seria uma maneira de se diferenciar do que é feito pela concorrência, estando presente em uma nova leva de smartphones ao mesmo tempo em que é feito o esforço contínuo para entrada no mercado mainstream.

Como lembra o Engadget, o negócio também permite que a Intel entre de cabeça no mercado chinês e aproveite um momento complicado para a rival Qualcomm, que atualmente passa por investigações antitruste no país. Enquanto a pendenga jurídica não se resolve, a empresa teria um terreno mais aberto para crescer e firmar suas raízes no país como mais um player nos bastidores da indústria mobile.

A expectativa, agora, é que os dispositivos das empresas da qual a Intel agora faz parte deem as caras a partir do ano que vem em celulares Android de baixo custo. Além disso, a companhia pretende continuar a investir em seu setor de SoCs, com peças que começarão a aparecer em aparelhos a partir de meados de 2015.