Para Intel, futuro é da Internet das Coisas e Big Data

Por Redação | 17 de Janeiro de 2014 às 08h19
photo_camera Divulgação
TUDO SOBRE

Intel

A Intel está apostando forte na integração entre o Big Data e a Internet das Coisas. Pelo menos, foi isso que a empresa apresentou na edição 2014 da National Retail Federation Convention & Expo, evento anual que traz as grandes novidades para o mercado varejista e foi realizado em Nova York, nos Estados Unidos.

Um dos anúncios foi a tecnologia Shopping Anywhere, que permite ao consumidor escolher roupas e produtos que estão sendo utilizados em um seriado de TV, por exemplo. A compra é feita de forma rápida e simples a partir de aplicativos instalados em smartphones ou tablets. O mesmo vale para um espelho interativo, que armazena as medidas do usuário e simula o caimento de vestimentas sem que seja preciso experimentá-las fisicamente.

De acordo com pesquisas internas realizadas pela Intel, a falta de sinalização é uma reclamação constante dos clientes de grandes lojas. Além disso, os varejistas perdem cerca de US$ 818 bilhões por ano em todo o mundo em vendas não concluídas por falta de estoque ou produtos que precisam entrar com descontos para liberar espaço para outros que estão chegando.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Para mudar isso, a empresa exibiu o Context Aware Marketing, conjunto de soluções digitais que modificam o que é exibido em um display de acordo com o sexo, idade e tendências, adequando as informações ao público-alvo, além de mostrar quais produtos estão disponíveis na loja. A companhia apresentou, ainda, uma série de soluções Big Data, que permitem aos lojistas avaliar melhor as necessidades de seus clientes.

Para grandes redes, por exemplo, a análise de dados permite que o estoque seja melhor dividido entre todas as filiais, evitando a frustração do cliente que chega em uma loja para descobrir que o produto desejado acabou. Há ainda o Dynamic Staffin Optimization, que usa Big Data para avaliar o fluxo de clientes, horários e total de vendas para acabar com as filas e otimizar a gestão de funcionários. Assim, é possível obter um relatório indicando quais são os momentos de maior movimento e quando é preciso abrir ou fechar mais caixas ou posições de atendimento.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.