Intel planeja levar câmeras 3D para Ultrabooks e tablets

Por Redação | 28.08.2013 às 09:30 - atualizado em 28.08.2013 às 13:33

No futuro, câmeras integradas a laptops e tablets poderão contar com ferramentas 3D que serão capazes de reconhecer movimentos e até monitorar os hábitos de leitura de crianças. Ao menos é o que garante a Intel, que estuda a adoção da tecnologia. A companhia está trabalhando em uma câmera de profundidade para integrar Ultrabooks e tablets, que seria capaz de ir ainda mais fundo nas imagens "para preencher a lacuna entre o mundo real e o virtual". As informações são do ITWorld.

As melhorias na webcam integrada ajudarão o computador a entender o ser humano melhor, trazer novos níveis de interatividade para jogos em três dimensões e tornar as videoconferências na web mais divertidas, apagando o fundo e introduzindo uma tela verde, por exemplo. "Você vai adicionar a capacidade de sentir seu entusiasmo, emoção, se você está feliz ou sorrindo. Os algoritmos e as tecnologias estão lá, mas eles estão ficando cada vez mais refinados e quando eles ficarem mais robustos, você irá vê-los", afirmou ao ITWorld Anil Nanduri, diretor de produtos perceptivos e soluções da Intel.

Tais câmeras de profundidade devem ser integradas a Ultrabooks e laptops a partir da segunda metade de 2014. A tecnologia das câmeras chegará ao mercado primeiramente em webcams externas, como é caso da Senz3D, desenvolvida em uma parceria entre Logitech e Intel. Nanduri acredita que a tecnologia também deve chegar aos smartphones e tablets.

A câmera também será capaz de identificar características, contornos e formas de artigos. Por exemplo, a sua capacidade de identificar distância, tamanho, profundidade, cor, contornos e outros parâmetros de estruturas poderia ser muito útil para o crescente mercado da impressão 3D. Um sensor de imagem em profundidade pode ser usado para revelar especificações exatas e outros detalhes de um projeto, podendo assim ser impresso depois.

"Você não vai mais olhar para o case [de um dispositivo], você vai simplesmente apontar esse dispositivo e as câmeras vão reconhecer o que você tem em mãos. Vão saber o número do modelo...e irão imprimir o case pra você, ou você vai à uma loja, e eles imprimem para você", explicou Nanduri.

Com a ajuda da ferramenta de rastreamento do olhar, as câmeras podem ser usadas para acompanhar como o usuário está lendo e utilizar isto como um mecanismo de avaliação para determinar problemas de leitura, o quanto as crianças lêem e até se elas precisam de ajuda com palavras específicas. Outras pequenas melhorias incluem o uso de sensores de movimento em jogos onde as mãos podem pegar objetos na dimensão 3D de jogos. E os dados coletados pela câmera podem ser combinados com outras modalidades como reconhecimento de voz para melhorar a interação do usuário com o computador.

Já existem câmeras 3D disponíveis no mercado, mas a Intel está buscando alinhavar o algoritmo e características do hardware para tornar as imagens mais significativas. Acredita-se que assim que a tecnologia chegar aos dispositivos, os usuários tenderão progressivamente a "esquecer" os mouses e teclados na hora de interagir com seus computadores.