Intel avança em seu projeto de lançar serviço de streaming

Por Redação | 18.06.2013 às 14:47

A Intel quer entrar em um novo setor do mercado de mídia em grande estilo e ainda este ano, com o lançamento de seu próprio set-top box e serviço de streaming baseado na internet, que irá agrupar os canais de TV para assinantes, mas por cabo, satélite e ISPs, para competir com serviços já existentes, que, inclusive, têm lutado entre si por conteúdo e assinantes.

De acordo com o DigitalTrends, fazem parte dos planos da Intel filmes sob demanda e transmissões de televisão ao vivo, como parte de um modelo híbrido que ao invés de oferecer apenas conteúdo do passado, também exibe programas recentes que os telespectadores podem ter perdido — como, por exemplo, um show de uma banda — até sete dias após sua transmissão original em qualquer dispositivo móvel que possua o aplicativo.

Ainda não se sabe ao certo quais tipos de ofertas a Intel conseguiu fechar com provedores de TV e proprietários de conteúdo para sua programação, apenas que a empresa está realizando um "bom progresso" no segmento. O DigitalTrends ainda levanta a questão: a empresa realmente pretende ajudar a sacudir a indústria da TV ou é apenas mais uma estratégia de marketing para garantir mais dispositivos rodando chips Intel nas mãos dos consumidores?

Apenas o tempo trará a resposta para essa pergunta, mas a combinação de hardware e software sugere que a nova investida não se destina a ser um chamariz neste campo de batalha apertado que se tornou o dos serviços de streaming. A plataforma da Intel será aberta a aplicativos de terceiros, e pode oferecer integração com dispositivos móveis, independente de utilizarem ou não processador do concorrente. O set-top box deve possuir ainda uma câmera para identificar vários usuários moradores de uma mesma casa, oferecendo assim uma experiência mais personalizada.

Já o lado que diz respeito à TV ao vivo apresenta possibilidades intrigantes, especialmente porque é algo que os demais grandes serviços de streaming não fazem. Mas parece improvável que as grandes empresas de TV a cabo não sejam avessas ao que a Intel tem em mente, principalmente porque algumas delas também são prestadoras de serviços de internet.