Instagram teria rejeitado oferta do Twitter antes de ser comprado pelo Facebook

Por Redação | 17 de Dezembro de 2012 às 12h22
Tudo sobre

Twitter

O jornal norte-americano The New York Times publicou neste domingo (16) uma reportagem afirmando que o Instagram recebeu mais de uma proposta de compra do seu negócio antes de ser adquirido pelo Facebook em março deste ano. A outra empresa que teria demonstrado interesse no aplicativo de compartilhamento de fotos foi o Twitter.

A informação publicada pelo Times contradiz o que o atual CEO do Instagram, Kevin Systrom, afirmou durante uma audiência no final do mês de agosto às autoridades de regulamentação de atividades corporativas do California Corporations Department, de que a única oferta recebida foi a do Facebook.

Segundo fontes que não quiseram se identificar, o Twitter havia enviado uma proposta de compra no valor de US$ 525 milhões (R$ 1 bilhão) pelo Instagram - valor abaixo do que foi oferecido pela empresa de Mark Zuckerberg de US$ 1 bilhão (R$ 2 bilhões). A oferta teria sido feita após vários encontros de Systrom e Mike Krieger, cofundador do Instagram, com alguns executivos do Twitter.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Kevin Systrom

Reprodução: Business Insider

As fontes ainda afirmam que Systrom teria aceitado verbalmente o acordo com o Twitter, mas que voltou atrás de sua decisão no dia 20 de março, afirmando aos executivos do microblog que a empresa planejava "continuar independente". No entanto, três semanas após o fim do acordo com o Twitter, o Instagram e o Facebook anunciaram a conclusão da compra.

Se as informações se confirmarem, Kevin Systrom terá que explicar o motivo de não ter mencionado em juízo as conversas que teve com o Twitter antes da compra feita pelo Facebook, e ainda por que declarou por três vezes diante do juiz que eles não haviam recebido nenhuma outra oferta de aquisição.

Além disso, o jornal afirmou que a audiência com o órgão regulador de corporações no estado da Califórnia, Estados Unidos, foi solicitada pelo próprio Facebook para acelerar o processo de aquisição do Instagram e garantir que os termos do acordo atendessem aos interesses de todos os investidores.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.