IDF 2013 deve marcar avanço definitivo da Intel para a mobilidade de consumidor

Por Rafael Romer | 02 de Setembro de 2013 às 11h50

O Intel Developer Forum (IDF) deste ano deve marcar a definitivamente a movimentação da Intel na direção da mobilidade voltada para consumidores, com a apresentação de três novas famílias de chips de 22 nm, que, por enquanto, têm o nome de Bay Trail.

O chips devem ser muito mais energeticamente eficientes, com voltagens que variam de doze a três watts, e otimizados para dispositivos como tablets, smartphones e Ultrabooks, permitindo tempos de stand-by de até um mês. O chip também foi projetado para dar suporte a dispositivos com os sistemas operacionais Android e Windows 8.

O evento também deve ser a primeira aparição pública do novo CEO, Brian Krzanich, e da nova presidente, Renée James, grandes motivadores do avanço da marca em direção da mobilidade para consumidores - uma tendência que já está dentro da Intel há pelos menos três anos. “O conceito da mobilidade já está na Intel desde o Centrino”, afirmou o Diretor de Tecnologia da Intel América Latina, Reinaldo Affonso, ao Canaltech Corporate. “Nós só não focavamos nos smartphones e tablets”.

Já no IDF do ano passado, a marca apresentou a quarta geração de chipsets Haswell ao público, atualmente no mercado, 50% menor do que o da anterior e com duração média de bateria de 9 horas em uso comum e até 14 dias em stand-by. ”O Haswell foi o primeiro de uma série que foi pensada 100% para esse futuro”, afirmou Affonso ao Canaltech.

Atualmente, o setor é mobile para consumidores é classificado por Affonso como “importantíssimo” dentro da Intel e é um dos temas mais fortes no projeto de mercado da empresa até 2017. A expectativa, indicada por Affonso, é que a Intel continue trabalhando com a tendência no próximo ano, com o lançamento de dois chips Atom de 14 nm, da família Cherry Trail.

Entretanto, o Diretor de Tecnologia afirma que os desktops e outras áreas tradicionais de atuação da Intel não perdem espaço dentro da empresa com o avanço do setor da mobilidade. Para ele, apesar de já não crescerem na mesma velocidade, há uma movimentação de usuários de desktops ficarem cada vez mais exigentes com esses dispositivo e demandarem produtos mais bem acabados.

Outra área que Affonso destaca com de interesse da Intel é a dos computadores All-in-One, considerados por ele a revolução nos desktops. “Estamos vendo o mercado pedindo”, afirmou. “O All-in-One é uma solução mais limpa [que o desktop tradicional], sem aquele monte de fios”. A Intel já se mostra interessada em tornar o dispositivo mais popular no Brasil há algum tempo. Em junho, o tema foi um dos mais discutidos pela Intel em uma reunião com seus canais, em São Paulo. Mas para Affonso ainda é necesário algum investimento na educação dos consumidores.

O Diretor sinaliza também que o IDF deve trazer novidade da “computação vestível”, ligada a equipamentos como smartwatches ou óculos digitais. Ele esclarece, no entanto, que as tecnologias não vão ser apresentadas pela Intel, mas habilitadas pela tecnologia da empresa. “Vai ser bem rico nessa área”, indica. Rumores apontam que a Samsung, que trabalha com diversos chips da Intel, deva apresentar o seu primeiro smartwatch durante a feira de tecnologia IFA 2013, em Berlim, que começa no dia 6 de setembro.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.