IBM quer investir US$ 3 bilhões em Internet das Coisas

Por Redação | 31 de Março de 2015 às 17h45

A IBM anunciou nesta terça-feira (31) que vai investir US$ 3 bilhões na criação de uma nova unidade da empresa dedicada à Internet das Coisas. O investimento será realizado nos próximos quatro anos, e o objetivo é vender sua expertise em coleta e análise de dados em tempo real.

Os serviços da IBM serão baseados remotamente na nuvem e vão oferecer às empresas maneiras de fazer uso dos diversos gadgets conectados trazidos pelo advento da Internet das Coisas, como smartphones, eletrodomésticos, sensores, entre outros.

Segundo o IDC (International Data Corporate), até é o final de 2020, haverá cerca de 212 bilhões de “coisas” conectadas à internet: sensores em mercados, eletrodomésticos, carros, instrumentos utilizados na área da saúde, etc.

Veja também: A era da Internet das Coisas

A primeira parceria importante firmada pela empresa para seu novo negócio foi com a Weather Co., que vai fornecer seus serviços de dados meteorológicos na nuvem da IBM, de modo que os clientes possam usar os dados obtidos em conjunto com ferramentas de análise da companhia. O resultado disso será a possibilidade de combinar previsão do tempo ao vivo com uma série de dados de negócios, para que as empresas possam se adaptar rapidamente aos padrões de compra dos clientes, ou a problemas de distribuição ligados a imprevistos climáticos.

As companhias de seguro, por exemplo, poderão enviar mensagens aos segurados de determinadas regiões quando uma chuva de granizo estiver se aproximando e indicar-lhes algum lugar seguro para estacionar. Ou então as lojas de varejo, que poderão comparar previsões do tempo com dados do passado para prever uma queda nas compras devido a condições meteorológicas extremas, da mesma forma que esse tipo de informação pode ser útil para ajustar a cadeia de suprimentos de logística de acordo com o clima.

A IBM já está trabalhando com algumas grandes empresas, como a fabricante alemã de pneus Continental AG e a fabricante de motores Pratt & Whitney, para ajudá-las a melhorar seus processos.

O investimento pesado neste segmento é seguido por uma pretensão grande de ganhos. A IBM estima aumentar sua receita anual proveniente da nuvem, Big Data, segurança e outras áreas em expansão para US$ 40 bilhões até 2018.

Fonte: Reuters

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.