IBM apresenta arma para combater poluição na China

Por Redação | 07.07.2014 às 17:20
photo_camera GameFM

A IBM e a cidade de Pequim firmaram um acordo para o uso de tecnologias avançadas de previsão do tempo e de computação em nuvem para ajudar a cidade a enfrentar a poluição que é constante no país.

O governo da China se comprometeu em reverter parte da poluição que tem causado vários danos aos céus, rios e solos do país, após ser pressionada por escândalos e altos índices de contaminação. Com mais de três décadas de acumulo de indústrias, apenas agora a China esta se voltando para essa questão.

A primeira parte da parceria entre IBM e o governo chinês visa investir em formas de melhorar a apuração de dados e a capacidade de monitoramento e previsão sobre a poluição no país. Após o desenvolvimento desta etapa, onde será possível medir melhor as condições da poluição em Pequim, é que terá início uma fase de políticas pró-ativas para a redução das emissões e da poluição e o uso de energias renováveis.

Segundo informações da Reuters, a parceria com Pequim faz parte de um esforço a longo prazo da IBM chamado de “Green Horizon” (Horizonte Verde), que é um programa da empresa que visa aprimorar seu sistema de previsão, além da captação e armazenamento de dados sobre as emissões em tempo real para prever acúmulos de poluição atmosférica.

Na China, em especial, o desafio da empresa é ainda maior tendo em vista a queima de combustíveis fósseis como uma das principais fontes energéticas do país, o número de carros em Pequim e as fábricas, tanto da cidade quanto das vizinhas.

Para o diretor da IBM Research na China, Xiaowei Shen, é possível que a empresa possa usar uma gestão com base em Big Data para prever melhor os picos de poluição e, dessa forma, auxiliar a tomada de medidas pró-ativas do governo chinês.

Com a previsão dos padrões de poluição de Pequim, Shen explica que será possível que o sistema sugira medidas preventivas para que a qualidade do ar na cidade fique dentro dos limites seguros para a população. Com essas “sugestões”, o governo, por exemplo, saberia quando diminuir a produção de fábricas ou reduzir o tráfego de carros. Para Shen, este modelo preditivo é inovador ao fornecer um sistema de decisão onde as pessoas possam tomar medidas preventivas apropriadas para a situação.

Um sistema de gestão de oferta e demanda de energia da IBM já ajudou a reduzir em 10% o desperdício de energia no projeto de energia solar e eólica na província de Hebei, por exemplo, gerido pela State Grid Corp.

Atualmente, Pequim conta com um sistema de alerta que inclui o monitoramento em 35 estações. Neste caso o aviso antecipado é utilizado para a desativação de escolas, fábricas e cortes no trânsito.

Mesmo com esse sistema, moradores reclamam que é necessário fazer mais do que apenas detectar quando será necessário sair com máscaras ou quando não se pode nem sair de casa. A previsão permite que a população não seja exposta, mas agora o governo acredita que será capaz de melhorar as condições no país utilizando novas tecnologias.

Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/ibm-ira-ajudar-campanha-chinesa-contra-poluicao/