Siga o @canaltech no instagram

Huawei lidera a lista de empresas que mais registraram patentes em 2014

Por Redação | 19 de Março de 2015 às 17h50
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

Quando você pensa em gigantes da tecnologia registrando patentes para garantir suas propriedades intelectuais, provavelmente nomes como Apple e Samsung vêm primeiro à sua mente. Mas nenhuma das duas rivais, nem mesmo o Google ou a Microsoft, estão no topo da lista das companhias que mais realizaram registros internacionais de patentes no último ano.

Quem ocupa este posto é chinesa Huawei, conforme revelou a agência Reuters nesta quinta-feira (19). Logo atrás dela ficou a Qualcomm, fabricante de processadores para mobile baseada em San Diego, Estados Unidos. O top 3 da lista é completado por outra fabricante de smartphones, a também chinesa ZTE.

A lista é divulgada anualmente pela Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO na sigla em Inglês), órgão vinculado às Nações Unidas e que serve para medir o progresso tecnológico dos países — afinal, quanto mais registros, maior é a produção de tecnologia em uma determinada região.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Partindo desse princípio, é curioso notar o avanço da China, único país que duplicou o número de registros somente no último ano. No panorama geral, os Estados Unidos ainda são o país com maior quantidade de registros solicitados de acordo com o WIPO.

Huawei Logo

Políticas de incentivo à tecnologia

O progresso registrado pelo país mais populoso do mundo é o resultado direto de políticas do governo chinês para incentivar suas companhias a deixarem de manufaturar produtos de baixo custo e de baixo valor para promover a inovação em suas fábricas.

Para se ter uma ideia, apenas a Huawei investiu 10% do valor total da empresa em pesquisa e desenvolvimento no último ano. À imprensa, o presidente da companhia, Ken Hu, contou que a Huawei vai investir ao todo US$ 600 milhões (quase R$ 2 bilhões) em um programa de pesquisa de internet 5G que começou em 2013 e vai até 2018.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.