Homem cego ganha olho biônico e volta a enxergar esposa após uma década

Por Redação | 24 de Fevereiro de 2015 às 09h07
Reprodução/YouTube

Um dos principais desafios dos cientistas é empregar alta tecnologia para devolver ao ser humano funções básicas perdidas por algum motivo. Funções biológicas que podem ser resgatadas por dispositivos mecânicos é um sonho que parece ter saído de uma história de ficção científica, mas que já começa a se tornar realidade.

O mais novo exemplo disso é o caso de Allen Zderad, um homem de 68 anos que não via sua esposa há uma década, mas pode matar as saudades graças à implementação de um olho biônico. Há 20 anos ele foi diagnosticado com retinite pigmentosa e, 10 anos depois, perdeu completamente a visão.

Recentemente, Zderad fez parte de um programa para implementação do Second Sigth (ou segunda vista, em tradução livre) e, com isso, voltou a enxergar formas e sombras, bem como seu próprio reflexo. O sistema consiste em um olho biônico capaz de enviar ondas luminosas diretamente ao nervo óptico, driblando, assim, a retina danificada.

Assista Agora: Saiba quais são os 5 maiores problemas das empresas brasileiras e comece 2019 em uma realidade completamente diferente.

“Um pequeno chip do formato de um wafer foi embutido no olho direito dele, cabos foram ligados num procedimento cirúrgico realizado em janeiro e, então, duas semanas depois, o resto da prótese presente em um par de óculos foi ativada”, descreveu o doutor Raymond Iezze Junior, responsável pela cirurgia.

“O projeto é um olho biônico na acepção pura do termo. Ele não é um substituto para o globo ocular, mas funciona com base na interação com o olho”, complementa o cientista. Apesar dos avanços, um longo caminho ainda está por vir para Zderad, como revela o Mashable. O paciente deverá passar por um período extenso de fisioterapia para se adaptar perfeitamente ao olho biônico.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.