HESS apresenta novas máquinas para câmbio e troca de moedas no Brasil

Por Redação | 20 de Junho de 2013 às 15h52
photo_camera Divulgação

A HESS, empresa alemã especializada em máquinas financeiras automáticas, apresentou durante o Ciab 2013 (Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras), realizado na semana passada, em São Paulo, sua nova máquina de câmbio de moedas. Chamada de ForEx, a máquina é a primeira do tipo no Brasil.

Para realizar a operação, basta selecionar a moeda que vai ser inserida na máquina e a moeda que deseja obter apos o câmbio. O registro da operação, que é obrigatório por lei no Brasil, é feito com o cartão de crédito ou débito do usuário, que deve ser utilizado na transação. São aceitas todas as notas do Real, das séries antiga ou nova.

A máquina permite o câmbio de até quinze moedas diferentes para o Real e do Real para até quatro moedas diferentes. O câmbio do Real para outras moedas é limitado pelos slots físicos da máquina, que comportam até quatro moedas, além do próprio Real. Toda operação deve, obrigatoriamente, ter o Real em uma das duas pontas.

O software da máquina também é completamente customizável e permite que as moedas sejam modificadas e os valores de câmbio atualizados remotamente, via internet.

Hess

Segundo Guilhem, a ideia das máquinas é complementar a operação de câmbio que existe atualmente no Brasil, considerada ineficiente (Foto: Divulgação)

A primeira máquina já está em funcionamento no Brasil, em uma casa de câmbio no Galleria Shopping, em Campinas. Há previsão para a instalação de outra máquina no Aeroporto de Cumbica, em São Paulo.

A empresa deve importar as 20 primeiras unidades da Alemanha, mas as próximas máquinas já devem ser montadas no Brasil. De acordo com o Diretor da HESS no Brasil, Demilson Guilhem, a expectativa é que as 20 primeiras unidades já estejam em funcionamento nos próximos três meses. Ainda não há local confirmado para a produção dos equipamentos.

Segundo Guilhem, a ideia das introdução destas máquinas é complementar a operação de câmbio que existe atualmente no Brasil, algo que é frequentemente motivo de reclamação por estrangeiros e brasileiros pela falta de disponibilidade, facilidade e segurança nas operações.

Máquinas para moedas

Durante o evento, a HESS também apresentou três novas máquinas para operação com moedas: a CoinIn, para coleta de moedas, a CoinRoll, para troca de notas por moedas, e a MultiPay.

A primeira delas pode ser utilizada para trocar grandes quantidades de moedas por vale-compras ou vale-desconto em lojas ou supermercados. A ideia é que a máquina seja utilizada também para gerar créditos para celulares pré-pagos e até valor de carga para cartões de transporte, como o Bilhete Único. "Ela confere quatro itens da moeda: diâmetro, espessura, magnetismo e o próprio material. Por isso, moedas muito gastas ou danificadas algumas vezes podem ser rejeitadas", afirma Guilhem.

A ideia é resgatar para o sistema bancário moedas que, tradicionalmente, não circulam no Brasil. "O brasileiro não tem cultura de moeda", explica o diretor. Estima-se que cerca de 40% das moedas de Real existentes não estão em circulação no país. O Brasil gasta R$ 300 milhões por ano só para repor essas moedas. Ainda não há nenhuma máquina em funcionamento, mas alguns projetos já foram fechados para o varejo e na área pública, segundo a HESS.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.