Há três meses no Brasil, Nutanix foca em canais e fabricação local para crescer

Por Rafael Romer | 03.04.2014 às 12:20

A fornecedora de soluções de armazenamento e computação virtual por appliances, Nutanix, deverá focar sua estratégia em canais de distribuição e na produção local de hardware para expandir seu mercado no Brasil, afirmam executivos da empresa em entrevista ao Canaltech.

Operando com presença local desde janeiro no país, a empresa fechou no mês passado uma parceria com a fabricante Neuwald para a montagem de seus servidores em Ilhéus, na Bahia. De acordo com o Country Manager da empresa para o Brasil, Leonel Oliveira, a unidade terá capacidade para produzir 100 mil servidores/ano e deve garantir disponibilidade de produtos em território nacional.

Além disso, a fabricação local se aproveitará de benefícios fiscais por se enquadrar nas regras do Processo Produtivo Básico (PPB) da Lei de Informática, o que trará menor custo dos equipamentos para clientes locais. "Isso é um ponto fundamental pela questão de viabilidade econômica", afirmou Oliveira.

Através da parceria, a Nutanix também passou a integrar 250 novos parceiros à rede de suporte técnico, o que deve garantir uma extensa rede de suporte pós-venda para suas soluções. "A nossa preocupação é conseguir fazer esse atendimento de pós-venda de maneira alinhada e ordenada, com uma cobertura que não deixe nenhuma brecha devido à dispersão geográfica no país".

A empresa ainda não divulgou seus primeiros contratos de vendas de produtos no país, feita 100% via canais, mas deve expandir a estratégia ainda mais nos próximos meses. Entre as parcerias já fechadas, estão com os integradores Agility Networks, Servix, HQS, Decatron, IPTrust e TechChannel. A busca agora será por novos parceiros especializados em verticais específicas, como enterprise, provedores de internet e data centers - o mesmo padrão que a empresa adotou em regiões como Ásia e Europa.

Criada em 2009 no Vale do Silício, Califórnia, a vendedora de infraestrutura de TI levantou no mês passado US$ 101 milhões em uma nova rodada de captação liderada pelos investidores Riverwood Capital e SAP Ventures, que têm como foco a expansão global da organização. Hoje, a empresa já ultrapassou a avaliação de US$ 1 bilhão e seu IPO é esperado para os próximos 18 meses.

Ao lado do Brasil, outros países da América Latina também devem ser o foco de crescimento internacional da empresa, que já tem 33% de suas vendas fora dos Estados Unidos e comercializa seus produtos em 30 países diferentes.

Usando o Brasil como base, a Nutanix deve avançar em direção de países como México e Chile neste trimestre e Colômbia no segundo trimestre. "A companhia está muito encorajada pelo êxito que teve na Europa e Ásia para vir para a América Latina", disse Andres Hurtado, vice-presidente da Nutanix na América Latina. Desde outubro, o executivo tem feito uma "peregrinação" pela região para buscar possíveis parceiros e representantes da empresa, assim como apresentar as soluções da empresa.

Nutanix

Andres Hurtado, vice-presidente da Nutanix na América Latina, esteve nesta semana em São Paulo para conferência de Infraestrutura de TI promovida pelo Gartner (Foto: Divlugação)