Gravações e e-mails de Steve Jobs serão usados em ação judicial contra a Apple

Por Redação | 02.12.2014 às 13:18

Em mais uma de suas infindáveis batalhas judiciais, a Apple pode ser declarada devido as declarações do seu falecido cofundador Steve Jobs, que foi "convidado" a "participar" de um julgamento que envolve o iPod. O falecido executivo da empresa, claro, não estará presente no tribunal, mas a acusação utilizará e-mails e vídeos dele para incriminar a empresa, que, nos primórdios do tocador de músicas, limitava a reprodução apenas a faixas adquiridas pelo iTunes.

De acordo com o New York Times, o julgamento vai contar com declarações do fundador da Apple gravadas em vídeos, além de histórico de e-mails. Bonny Sweeney, uma das advogadas da acusação, declarou ao jornal norte-americano que as provas obtidas são de que a Apple bloqueou os seus concorrentes e os prejudicou por não permitir que as músicas adquiridas em outros serviços funcionassem no iPod.

Um dos e-mails que será usado contra a Maçã contém informações que relatam a preocupação com o software Music Match. Na mensagem, Jobs diz: "Precisamos nos assegurar que quando o Music Match lançar sua loja de música para download elas não possam ser usadas no iPod. Será isso um problema?". Como destaca o jornal, se a empresa perder a ação, o valor pago em indenizações deverá ser de US$ 350 milhões para quase 23 milhões de consumidores.

O julgamento acontece nesta terça-feira (2) em Oakland, na Califórnia, e, além da participação virtual do falecido Steve Jobs, deve contar com o vice-presidente de marketing Philip Schiller e Eddy Cue, responsáveis pelo iTunes e serviços digitais da empresa.