Google vai oferecer serviços de telefonia móvel nos Estados Unidos

Por Redação | 02.03.2015 às 13:46

Conceber smartphones e desenvolver o mais popular sistema operacional para mobile de todo o mundo não é o suficiente para o Google: a companhia vai iniciar a operação de serviços de telefonia móvel nos Estados Unidos. Apesar de minimizar a competição contra as gigantes do setor no país, a ideia da fabricante do Android é rivalizar com nomes como Verizon e AT&T. As informações são do PC World.

A notícia veio à tona nesta segunda-feira (2) durante a conferência do Google no Mobile World Congress, realizada em Barcelona, na Espanha. Em sua fala, o vice-presidente sênior da empresa Sundar Pichai confirmou os planos do gigante da web em oferecer serviços de telefonia móvel por meio de uma rede já existente, mas que será rebatizada para levar a marca do Google.

O método é semelhante ao que já acontece atualmente em relação a hardware, no qual os produtos do Google (como a linha de tablets e smartphones Nexus e também o notebook Chromebook) são concebidos pela companhia e fabricados por empresas parceiras como Samsung, Asus, HTC, LG e Motorola.

Sem concorrer com as gigantes

A ideia de que o novo serviço de telefonia móvel do Google não vai concorrer com as grandes operadoras do setor foi reforçada por Pichai. De acordo com o executivo, o principal objetivo da empresa com este movimento é permitir ao Google ter uma plataforma própria na qual pode experimentar novos serviços para os smartphones com Android.

Prometendo iniciar os trabalhos de divulgação da nova empreitada da companhia já no próximo mês, Pichai destaca os esforços contínuos do Google para explorar os limites.

“Nós sempre tentamos ir além das fronteiras daquilo que vem adiante em relação a software e hardware, e nós já fazemos isso atualmente com os dispositivos Nexus. Nós queremos estar aptos a experimentar além dessas linhas”, revelou o executivo.

Entretanto, nenhuma informação a mais foi divulgada. A única certeza é a de que o Google terá sua própria linha de telefone celular nos Estados Unidos, mas ainda não foram reveladas quais companhias serão as parceiras nesta empreitada, muito menos preços ou planos.