Google revela os primeiros apps Android que rodarão nativamente no Chrome OS

Por Redação | 11.09.2014 às 16:27

Há quase três meses, quando o Google realizou a Google I/O, sua tradicional conferência para desenvolvedores, uma das novidades que mais chamou a atenção foi um projeto demonstrado pela gigante das buscas no palco principal. Nele, a empresa mostrou que estava trabalhando em uma forma de fazer com que apps desenvolvidos para Android também pudessem ser rodados no Chrome OS. Aquela demonstração de junho finalmente se tornou realidade e está disponível para o público a partir desta quinta-feira (11).

Intitulado de "App Runtime for Chrome", o projeto foi disponibilizado em sua versão beta para todos os usuários do sistema operacional. Embora abra portas para uma infinidade de possibilidades, já que há centenas de milhares de aplicativos disponíveis para o Android, a empresa esclareceu que o software não se trata de uma Play Store para os Chromebooks.

Em uma publicação no blog oficial do Chrome, a companhia disse que os apps que aparecerão por lá serão pré-selecionados. "Nos próximos meses nós trabalharemos com um seleto grupo de desenvolvedores Android para adicionar os apps favoritos do público", disse a empresa. "Dessa forma vocês terão uma experiência mais fluida com os apps do Android no Chromebook".

Por ora, o novo recurso chega ao sistema com quatro apps compatíveis: Duolingo, Evernote, Sight Words e Vine. Curiosamente, o Flipboard, que foi utilizado na Google I/O, não foi anunciado pela empresa.

O projeto parece ter sido muito bem executado, já que, segundo um porta-voz da empresa, o Chrome OS recebeu uma pilha de execução do Android e agora é capaz de executar aplicações ARC como se elas estivessem no próprio Android

O projeto parece ter sido muito bem executado, já que, segundo um porta-voz da empresa, o Chrome OS recebeu uma pilha de execução do Android e agora é capaz de executar aplicações ARC como se elas estivessem no próprio Android (Imagem: Divulgação/Google)

Ao portal Ars Technica, um porta-voz do Google detalhou o funcionamento do novo recurso. Segundo ele, todo o código dos apps permite que eles sejam executados de maneira nativa no App Runtime for Chrome e que funcionam da mesma maneira que qualquer outra solução baixada da Chrome Web Store.

"Nenhum desenvolvedor teve que mudar o código fonte do app, apesar de terem sido encorajados a melhorá-lo para que os apps funcionem melhor com, por exemplo, o teclado e touchpad do Chromebook", revelou o funcionário da empresa.

A julgar pela declaração, tudo indica que o Google construiu toda uma pilha de execução Android dentro do Chrome OS. Como se o trabalho não fosse notório por si só, os apps ainda aparecem na tela como se fossem soluções nativas do sistema operacional, não aparentando que foram trazidos de outra plataforma para o computador.

Se a moda pegará ou não, nós não sabemos. Mas a ideia não só é muito boa como pode unir os ecossistemas de aplicações das duas plataformas.