Google pode priorizar sites seguros nos resultados de busca

Por Redação | 14 de Abril de 2014 às 15h32

A preocupação com segurança na internet parece estar prestes a tomar um escopo ainda maior. De acordo com recentes declarações de Matt Cutts, que é responsável pelo combate ao spam e segurança dos sistemas de busca do Google, a empresa está cogitando priorizar sites seguros nos resultados das pesquisas e fomentar essa preocupação entre páginas e serviços online.

De acordo com o Wall Street Journal, a ideia ainda estaria em seus estágios iniciais de planejamento, mas poderia muito bem integrar o conjunto de normas que permite a hierarquização das páginas sempre que um usuário realiza uma busca. A forma como um serviço criptografa e protege as informações de seus utilizadores poderia contar para tal fim, com páginas seguras tendo prioridade.

Hoje, são mais de 200 regras para coordenar a maneira como sites são exibidos nos resultados de busca. Algumas são bem conhecidas do público, como a presença de software malicioso, spam ou lentidão no carregamento, gerando um conjunto de boas práticas na rede. Outras, porém, não são reveladas ao público e funcionam como uma maneira de separar o joio do trigo.

A adoção de métodos de criptografia à essa lista é vista pela empresa como uma forma de incentivar mais e mais serviços a adotarem tais soluções. Assim, o acesso às informações dos usuários seriam protegidas contra interceptação e espionagem, garantindo maior privacidade à rede e reduzindo potencialmente o número de ciberataques.

Essa preocupação acompanharia um movimento que vem sendo feito internamente pelo Google em seus serviços e sistemas. Após a revelação de que a NSA estaria espionando serviços online, a empresa intensificou as barreiras de segurança em plataformas como o Gmail e o Google Docs de forma a garantir que as informações de seus usuários e clientes estejam protegidas dos olhares de terceiros.

A novidade do Google, porém, pode esbarrar em um problema: que tipo de encriptação será vista como válida? Sistemas populares, como o OpenSSL, têm sido alvos recentes de ataques devido a falhas de segurança e a preocupação é que uma hierarquia de resultados por critérios de segurança pode, em casos como o Heartbleed, acabar expondo usuários a falhas de segurança. Assim, a medida teria o efeito contrário do imaginado.

Oficialmente, o Google não falou sobre o assunto. Fontes ouvidas pelo Wall Street Journal afirmam que Cutts tem realizado uma série de reuniões com especialistas e envolvidos na questão para discutir como e se a proposta será levada adiante.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.