Google não vai mais coletar dados do Gmail de estudantes

Por Redação | 30.04.2014 às 13:42

O monitoramento das contas de seus usuários é um dos principais meios do Google para entregar anúncios direcionados e obter renda. Mas, a partir de agora, estudantes podem estar livres desse tipo de prática. Ou, pelo menos, aqueles que utilizarem o Gmail como parte da suíte de aplicativos Apps for Education, disponibilizada pela empresa para fomentar a educação.

A mudança foi reportada pelo Wall Street Journal e teria ocorrido em resposta a um processo na justiça norte-americana movido por um grupo de estudantes da Califórnia. Na ação, o Google é acusado de acessar indevidamente as informações dos alunos, violando estatutos federais que protegem os registros e dados pessoais de menores de 18 anos que estejam matriculados em instituições de ensino.

A mudança também pode ter acontecido em resposta a um novo conjunto de diretrizes publicado pelo Departamento de Educação dos Estados Unidos. As normas reafirmam o FERPA, publicado em 1974, que garante a privacidade das informações de estudantes do país.

A mudança tem caráter imediato. O Apps for Education é oferecido gratuitamente e não conta com suporte a anúncios. Apesar disso, o rastreamento de conteúdo acontecia mesmo nesta plataforma para que a empresa pudesse entregar publicidade direcionada fora da suíte de aplicativos, que inclui, além do e-mail, ferramentas de calendário, criação de documentos e armazenamento na nuvem.

As informações obtidas pelo jornal foram declaradas por Bram Bout, que é diretor da Google for Education. Segundo ele, mudanças semelhantes também devem acontecer nas soluções da empresa voltadas para usuários governamentais e corporativos, segmentos que também possuem preocupações semelhantes com relação à privacidade.