Google: mais de um terço dos produtos lançados pela empresa falharam

Por Bruna Rasmussen | 08.05.2013 às 09:45

Quando se fala em Google, o buscador pode ser um primeiro produto a vir à mente, mas está longe de ser o único. Do Chrome e do Gmail ao Glass e ao AdSense, a lista de serviços já lançados pela gigante da internet passa de 350. Contudo, apesar de um óbvio sucesso da empresa, não foram todos que deram certo. De acordo com uma recente pesquisa publicada pelo Gwern.net, cerca de 35% de todos os produtos já lançados pelo Google falharam e foram declarados mortos.

Os serviços foram analisados a partir de algumas variáveis, como sua categoria, sua popularidade, o lucro que gerou à empresa, a abertura do código a terceiros e se ele foi comprado ou licenciado de outra companhia. Dessa forma, foi possível criar uma fórmula para buscar padrões nos produtos que faliram e tentar prever o futuro para aqueles que hoje são oferecidos pela empresa.

A análise

Produtos relacionados a compras online, guias não oficiais e mensageiros na nuvem são, por exemplo, categorias de produtos que têm menos chances de dar certo. Por outro lado, serviços de busca, tradução e anúncios estão no topo da lista e prometem garantir ao Google um bom lucro.

Anuncie Aqui

Ainda de acordo com o resultado da fórmula, o AdSense e o Blogger têm 100% de chances de sobreviver nos próximos 5 anos. Para o Google+ e para o Scholar, no entanto, esse valor cai para 85%. Da lista fornecida, quem não está com um futuro muito bom na bola de cristal do Gwern.net é o Google Voice, com 44%, e o recém-anunciado Google Glass, com 37%.

Enquanto o Google tem conquistado sucesso nos produtos relacionados a propaganda (AdWords, AdSense), suas tentativas no campo das redes sociais não foram nada bem – Google Wave está morto e o Google+ não parece estar indo por um caminho muito diferente.

Google Reader: insubstituível

A grande decepção do pessoal da Gwern.net, que conduziu a pesquisa, é a morte do Google Reader. Enquanto que a tecnologia está sempre substituindo serviços e aparelhos por versões melhoradas, o RSS está, simplesmente, sendo jogado na cova, sem substitutos. O motivo do baixo uso desse sistema de feeds estaria no uso das redes sociais para se atualizar sobre conteúdos de sites. Entretanto, essa solução parece pouco prática para quem, assim como os pesquisadores, faziam uso intenso da ferramenta.

Google Reader

Para conquistar grandes acertos é preciso falhar e aprender, todos sabemos. Por que com o Google seria diferente? Ter 35% de falhas em seu portfólio pode ainda ser considerado um número baixo frente a tantos acertos. E então, qual é o próximo serviço da gigante que será gentilmente aposentado?