Google lançará versões infantis de alguns de seus produtos

Por Redação | 04.12.2014 às 11:17
photo_camera Divulgação

O controle parental é uma realidade presente na maioria dos dispositivos eletrônicos, com os pais sendo capazes de selecionar o que seus filhos verão ou não. Agora, o Google deseja ir um passo além e anunciou que lançará versões “infantis” de produtos como o YouTube e o navegador Chrome, por exemplo.

As mudanças vão além de alterações no conteúdo e bloqueio de materiais impróprios. De acordo com reportagem do USA Today, a mudança deve se estender também à interface e à maneira como as informações, menus e outros dados são exibidos não apenas para proteger os pequenos, mas também incentivar a criatividade deles e torná-los consumidores de conteúdo.

Com lançamento previsto para o ano que vem, a novidade do Google ainda não teve muitos detalhes divulgados. Apesar disso, o vice-presidente de engenharia da empresa, Pavni Diwanji, deu uma declaração que mostra um pouco a direção que a companhia deseja seguir. Ele contou que, certa vez, sua filha estava fazendo uma pesquisa sobre “trens” em busca de imagens e vídeos do desenho “Thomas e Seus Amigos”. Em vez disso, os resultados exibiram horários de partida de transportes nos arredores e outras informações do tipo, que apesar de não serem impróprias, não tinham nada a ver com a busca realizada e poderiam acabar desmotivando a criança.

Sendo assim, a ideia parece ser melhorar o entendimento da forma como os pequenos pensam e entregar a eles informações que lhes interessam, mais ou menos como é feito hoje com todos os usuários do Google. Então, dá para esperar o uso de algoritmos e coleta de informações sobre pesquisas e navegações online, de maneira que mais conteúdo relevante seja exibido durante o uso da rede.

Por outro lado, essa mesma ideia esbarra em leis de privacidade existentes principalmente nos Estados Unidos, onde são ainda mais rígidas no caso das crianças. Um ato federal de proteção da infância regula de forma bastante específica de que maneira a privacidade dos pequenos deve ser protegida, quais dados sobre eles podem ser coletados e, principalmente, quais conteúdos podem ser exibidos a eles em termos de publicidade.

Desde já, o Google informa que os pais terão controle total sobre as informações mostradas aos filhos como parte dessa iniciativa. Todas as opções serão plenamente customizáveis e os filtros parentais estarão ativos, de forma a permitir que eles decidam o que a prole vai ver na internet.