Google explica como funcionam balões do Project Loon

Por Redação | 03 de Setembro de 2013 às 13h50
photo_camera Guardian
TUDO SOBRE

Google

Há alguns meses, o Google iniciou os primeiros testes do Project Loon, que tem como objetivo levar conexão de internet para áreas remotas com o auxílio de balões. Mas o gigante da web ainda está acertando alguns detalhes para oferecer uma cobertura de internet consistente por meio do Loon, e só agora passamos a saber mais detalhes sobre como funcionará a tecnologia.

Os balões usados pelo Google foram desenvolvidos pela Força Aérea norte-americana, e cada um deles possui 15 metros de diâmetro e circula com equipamentos como antenas de rádio, computadores de voo, sistema de controle de altitude e painéis solares, que são os responsáveis pela produção de energia para o sistema. Cada balão deve permanecer nos ares por até 100 dias, provendo conexão com a internet em áreas de 40 quilômetros de diâmetro em torno do balão e, empurrados pelo vento, eles circularão nas direções leste e oeste.

Porém, se não existem planos para amarrar um balão ao outro, o que irá mantê-los flutuando na brisa? O Google explica. A empresa diz que encontrou inspiração na própria natureza e em revoadas de pássaros para adaptar seus balões inteligentes. Basicamente, cada balão será capaz de detectar a sua proximidade com os demais balões ao seu redor e então irá se mover para garantir que o grupo permaneça equidistante entre si.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

"Eles [os balões] olham para seus vizinhos mais próximos e tentam se espalhar uns dos outros", diz Dan, um membro da do Google. "Mas à medida que avançamos [no projeto], podemos usar métodos que levem tudo em conta. Assim, cada balão essencialmente terá informações sobre o que os outros estão fazendo. No futuro, provavelmente, será uma simulação muito mais sofisticada".

Ele diz ainda que, uma vez que eles descobriram que os balões podem manter-se espaçados e inteligentes, o Loon transformou-se em "um projeto viável e não apenas em algum tipo de projeto científico louco". O Loon já foi testado na Nova Zelândia e está em expansão para a Califórnia, onde o Google está a procura de voluntários para experimentar os modems terrestres que receberão o sinal dos balões.

No vídeo abaixo, ele mostra um programa de simulação que demonstra como os balões reagem às condições ao seu redor e migram para garantir que não surjam lacunas em sua cobertura de internet.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.