Google estaria planejando lançar um app de mensagens semelhante ao WhatsApp

Por Redação | 03.10.2014 às 11:52

Depois de perder o WhatsApp para o Facebook em uma tentativa de aquisição bilionária, o Google está planejando lançar seu próprio aplicativo de mensagens móvel. A companhia teria feito uma oferta de 10 bilhões de dólares para comprar o WhatsApp, que foi vendido para o Facebook por 19 bilhões de dólares, tornando um dos maiores negócios do setor tecnológico.

A Índia e outros mercados emergentes seriam os lugares escolhidos para testar a nova ferramenta do gigante das buscas. No mês passado, o Google enviou seu gerente de produto, Nikhyl Singhal, para a Índia com o objetivo de reconhecer o ecossistema de aplicativos de mensagens no país, visto que a empresa tentará recuperar o atraso em que se encontra em relação aos seus concorrentes.

O mensageiro do Google estaria em estágios iniciais de desenvolvimento e deverá ser lançado em 2015, segundo informa algumas fontes com conhecimento dos planos da empresa. Procurado pelo The Economic Times, um porta-voz do Google se recusou a comentar o assunto.

Singhal, que é diretor de produto para o Hangouts, Google+, entre outras ferramentas da empresa, também está fazendo viagens a outros países asiáticos para entender melhor o ambiente dos aplicativos de mensagens. Ao contrário de outros produtos do Google, o mensageiro não deverá forçar os usuários a usarem suas contas da empresa. Pelo que parece, o mensageiro será gratuito, tendo como base que o seu principal concorrente, o WhatsApp, tem um modelo freemium, onde cobra uma pequena taxa anual.

Com o lançamento do Android One, que procurou reunir diversos fabricantes de hardware para vender smartphones a preços acessíveis, a Índia está se tornando um campo de testes para o Google. Em entrevista no mês passado, Sundar Pichai, executivo da empresa, afirmou que a companhia quer fazer mais lançamentos específicos na Índia por causa da escala e alcance do mercado. A Índia deve se tornar o segundo maior mercado mundial de smartphones em 2019, perdendo apenas para a China.

O lançamento de um app de mensagens similar ao WhatsApp está bem atrasado em relação às principais empresas do setor como Viber, WeChat, Line e o próprio mensageiro do Facebook. Segundo Benedict Evans, sócio da Andreessen Horowitz, o "Google perdeu bastante campo no ramo social em aparelhos móveis. Esse mesmo motivo levou o Facebook a adquirir o WhatsApp e o Instagram".

A Índia é um dos mercados de maior crescimento de aplicativos de mensagens instantâneas. Dos 600 milhões de usuários do WhatsApp, 65 milhões estão na Índia. O Line tem mais de 18 milhões de usuários no país, enquanto o Viber conta com mais de 30 milhões. Já o WeChat, com 438 milhões de usuários no mundo, não revela dados específicos no país, mas tudo indica que sua base de usuários na Índia também é bastante considerável.

Outro fator que impulsiona o crescimento do setor na Índia é a expansão das conexões móveis. Para este ano é esperado que o país alcance a marca de 815 milhões de conexões móveis. Isso representa um crescimento de 8% em relação ao ano passado, de acordo com a consultoria Gartner.

Fonte: http://m.economictimes.com/tech/internet/google-planning-to-launch-own-mobile-messaging-app-similar-to-whatsapp/articleshow/44141070.cms