Google é condenado a pagar US$ 2 mil por imagem de decote no Street View

Por Redação | 04 de Novembro de 2014 às 08h30

O Google foi condenado pela justiça canadense a pagar uma indenização de C$ 2.250 (que equivalem a US$ 2 mil) à uma mulher que foi fotografada pelo Street View em frente a própria residência dela. Na imagem, Maria Pia Grillo aparece curvada, fazendo com que o decote da blusa apareça.

Segundo a justiça do Canadá, a empresa de Mountain View feriu a privacidade da mulher ao registrar a foto e, além de fotografá-la com o decote, usou a imagem em seu serviço, afirma o site Ars Technica.

Ao procurar sua casa no Street View, Pia se espantou ao perceber a própria imagem no serviço, disse em decisão judicial. Ela identificou o conteúdo no programa do Google em 2009 e afirma que entrou em contato imediatamente para que a imagem fosse alterada. Sem receber resposta da empresa, dois anos depois acionou a companhia sobre a imagem alegando danos emocionais.

Google street view mulher

Geralmente, o Google borra o rosto das pessoas antes da imagem entrar efetivamente nos seus serviços com o objetivo de manter a privacidade. No caso de Maria Pia, o método não teve o mesmo efeito por ela estar sentada em frente a própria casa, que não teve o número borrado, facilitando que sua identidade fosse descoberta.

O pedido inicial de indenização era de US$ 45 mil, pois Pia alegou danos emocionais, incluindo depressão e piadas entre os colegas de trabalho relacionadas com a imagem no Google. Contudo, a empresa não aceitou nenhum acordo financeiro e concordou em apenas borrar uma parte maior da imagem, visando proteger a identidade da mulher. Para o Google, o local onde a mulher foi fotografada é considerado público e, portanto, não vê nenhuma relação entre os problemas emocionais alegados pela moça com a imagem publicada no Street View.

O juiz que acompanhou o caso concordou com o Google e disse que não há relação entre o serviço e os problemas emocionais da mulher, mas discordou que a frente da casa poderia ser considerado um “lugar público”, afirmando que não ocorre perda de privacidade por se tratar de um local onde a pessoa pode ser vista.

“Além dos comentários maliciosos e da humilhação que sofreu no trabalho, a queixosa, em particular, tem sofrido um atentado ao seu pudor e dignidade, dois valores que quer ver mantidos e que são respeitáveis”, argumentou o juiz para aplicar a sentença.

Fonte: http://arstechnica.com/tech-policy/2014/10/google-ordered-to-pay-a-woman-2250-for-street-view-image-showing-cleavage/

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!