Google anuncia a fusão de suas operações na Europa

Por Redação | 26.02.2015 às 13:21
photo_camera Divulgação

O Google está reformulando seus negócios na Europa para encarar os desafios provenientes da crescente pressão regulatória da região, onde políticos e concorrentes estão colocando a gigante da web contra a parede para tentar conter seu poder no mercado.

Depois de um ano recheado de contratempos em Bruxelas, Berlim e outros locais, a empresa norte-americana resolveu unificar seus dois braços europeus que, até então, eram divididos em grupos geográficos – um para a Europa do Norte e Central, e outro para a Europa Oriental e do Sul.

De acordo com informações do Financial Times, a unificação ficará sob o comando de um único executivo, Matt Brittin, que já dirigiu a operação da Europa do Norte e Central. Ele ocupará o cargo de presidente de negócios e operações da EMEA (Europa, Oriente Médio e África).

As atividades do Google tornaram-se o foco de uma reação contra a presença de grupos do Vale do Silício na Europa, incentivada por preocupações com a vigilância da internet exercida pelos Estados Unidos, pela evasão fiscal e pelo domínio comercial dessas companhias.

A principal ameaça vem de Bruxelas, onde a Comissão Europeia reabriu uma investigação antitruste contra o motor de buscas do Google. O caso já é antigo, e essa reabertura pode segurar a companhia em um processo judicial que levaria anos para se desenrolar. Além disso, a empresa também enfrenta a pressão governamental sobre as suas atividades em vários países, incluindo o Reino Unido, Alemanha, França, Espanha e Rússia.

Agora, o Google pretende anunciar nova iniciativas destinadas a conquistar os céticos da Europa. O novo presidente de negócios e operações da EMEA disse que a empresa irá treinar mais de 1 milhão de europeus em "competências digitais" ao longo dos próximos dois anos. O Google também promete apoiar os planos para criação de um "mercado digital único".