Google Brasil dará aulas para professores e alunos da rede de ensino de SP

Por Redação | 28.11.2013 às 14:24

O governo do estado de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (27), no Palácio dos Bandeirantes, uma parceria com o Google Brasil para capacitar os mais de 300 mil professores de ensino fundamental e médio da rede pública estadual. As informações são da Folha de S. Paulo.

A partir do primeiro dia letivo do ano que vem, os mestres terão treinamentos para facilitar o uso de ferramentas como o Gmail, o Google Docs e a rede social Google+, além de atividades complementares com diversos outros aplicativos online da empresa – alunos e docentes poderão utilizar um disco virtual de 25 GB no Google Drive, serviço de armazenamento na nuvem (a versão gratuita permite 10 GB), e acessar todos os programas por PCs, tablets e celulares. Os cursos vão durar durante todo o ano de 2014.

Os professores ainda terão acesso gratuito à versão educacional dos programas do Google, que normalmente é paga, e também a uma plataforma de vídeos online para compartilhar ou transmitir em tempo real aulas filmadas. Haverá um canal de videoconferência baseado no sistema Hangouts para aulas e discussões à distância para as quase 5.000 escolas em todo o estado.

"Uma plataforma colaborativa como essa faz as escolas saírem de seus muros", declarou o governador Geraldo Alckmin. A subsecretária estadual de educação, Rosângela Morroini, destacou que as aulas presenciais não serão substituídas pelas virtuais, nem que os exercícios em sala serão feitos pelo computador. Apesar disso, Morroini afirma que vai depender "da vontade de cada professor e do uso que ele quiser dar para os aplicativos".

O treinamento será feito pela EFAP (Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores) e terá supervisão tanto por funcionarios da tecnologia do governo quanto do Google. "O principal não é a tecnologia propriamente dita, mas sim o que os professores vão fazer com ela", disse Nelson Mattos, diretor de engenharia para a Europa e países emergentes do Google. "Há muitos professores que sabem usar a internet, são ativos, mas muitos não. Os alunos, de forma geral, têm condição de aprender aquilo rapidamente, mas o professor, nem sempre".

Mattos afirma que projetos com esse objetivo já estão sendo realizados na Malásia e na Tailândia. A ideia é poder firmar parcerias com outros governos estaduais no país e levar o programa ao maior número possível de escolas. A parceria vinha sendo discutida desde o ano passado, mas só agora foi aprovada pelo governo paulista.

"O Google não é uma empresa de educação, mas é muito importante para nós, que queremos nivelar [em oportunidades individuais] a sociedade", disse o presidente do Google no Brasil, Fabio Coelho, durante o anúncio. "Podemos fazer do Brasil um país mais eficiente".