Goldman Sachs pede na Justiça que Google delete email com infos confidenciais

Por Redação | 03.07.2014 às 16:24

O grupo financeiro estadunidense Goldman Sachs pediu na Justiça que o Google delete um e-mail. A razão seria o envio equivocado de conteúdo confidencial para uma conta de Gmail desconhecida pela fonte. O banco quer a exclusão do material para evitar uma quebra "desnecessária e maciça" de privacidade, de acordo com a Reuters.

Ao que parece, o conteúdo do e-mail é bastante valioso. "A ajuda de emergência é necessária para evitar o risco de causar uma desnecessária e massiva violação de privacidade do Goldman Sachs, e para evitar risco de danos desnecessário ao banco", diz o comunicado da empresa.

A falha teria ocorrido no dia 23 de junho e, segundo o grupo Goldman Sachs, quando um profissional terceirizado estava testando mudanças em processos internos do banco. Ao invés de enviar o conteúdo para uma conta com extensão "gs.com", o responsável enviou para um nome similar, mas com a extensão "gmail.com".

Após o ocorrido, o banco não conseguiu recuperar o relatório ou obter uma resposta do dono da conta de Gmail que recebeu a mensagem. A equipe de resposta a incidentes do Google, por sua vez, respondeu ao Goldman Sachs que não seria possível excluir esse e-mail sem uma ordem judicial.

Na tarde de hoje, no entanto, a própria Goldman Sachs veio a público dizer que o Google bloqueou o acesso à conta de email que contém os dados confidenciais. "O Google colaborou com nossa requisição e bloqueou acesso ao email", disse Andrea Raphael, executiva da empresa, em entrevista para a agência Reuters. "O Google também nos notificou que a conta não foi acessada desde que o e-mail foi enviado, ou seja, as informações não foram vazadas".

Fonte: http://mobile.reuters.com/article/idUSKBN0F729I20140702?irpc=932