Geohot, o hacker que destravou o PlayStation 3, é contratado pelo Google

Por Redação | 18 de Julho de 2014 às 13h00
photo_camera Divulgação

O Google anunciou nesta semana o chamado "Project Zero", uma nova iniciativa que reúne especialistas e hackers em segurança virtual com o objetivo de promover uma internet mais segura e evitar ameaças, vulnerabilidades e ataques maliciosos de todos os tipos no universo digital. E sabe quem faz parte do projeto? Ninguém menos que George Hotz, mais conhecido pelo apelido "Geohot".

Além do Project Zero, o jovem de 24 anos agora é funcionário da gigante das buscas, na qual fará parte da equipe responsável em pesquisar soluções de segurança online. Basicamente, ele e outros hackers vão trabalhar para encontrar problemas nos softwares do Google para que eles sejam corrigidos o quanto antes. De acordo com o site Eurogamer, ele foi contratado pela empresa depois de encontrar uma falha no navegador Google Chrome. A descoberta do bug rendeu ao rapaz uma recompensa de US$ 150 mil.

Para Chris Evans - não o ator que interpreta o herói Capitão América no cinema, mas sim um dos coordenadores do Project Zero e responsável por recrutar novos integrantes ao grupo -, são hackers como Geohot que vão ajudar a construir uma internet mais segura. Isso graças ao desenvolvimento de ferramentas que garantem ao usuário um site, navegador ou aplicativo livre de bugs, vírus, espionagem ou invasões de terceiros.

"Você deve poder usar a internet sem medo e certificar-se de que nenhum ator está explorando falhas de softwares para infectar seu computador com o objetivo de roubar dados ou monitorar suas conversas", disse Evans à revista Wired. "O Project Zero é a nossa contribuição, o pontapé inicial para uma internet mais segura. Nosso objetivo é reduzir de forma significativa o número de pessoas prejudicadas por ataques direcionados, e estamos contratando os melhores especialistas para nos ajudar".

Hacker do iPhone e PS3

Para quem não sabe, Geohot começou a ganhar destaque em 2007, quando tinha 17 anos. Na época, ele foi o primeiro usuário a conseguir aplicar no primeiro modelo do iPhone o conhecido jailbreak, técnica que consiste em quebrar os protocolos de segurança do aparelho para instalar qualquer tipo de ferramenta ou aplicativo. A partir daí, surgiram diversos grupos de hackers que, com a descoberta de Hotz, buscavam explorar ainda mais as falhas do sistema operacional móvel da Apple, o iOS.

Geohot

(Foto: ISEF/Intel)

No entanto, Geohot só ficou mundialmente famoso em 2010 após descobrir uma brecha de segurança no PlayStation 3 que permitiu realizar a "engenharia reversa" e destravar o console da Sony, um dos aparelhos mais bloqueados já fabricados pela companhia. Um ano depois, o jovem foi processado pela empresa, que o levou até sua sede nos Estados Unidos para que ele explicasse aos engenheiros da entidade como burlou a segurança do PS3.

No final das contas, Sony e Geohot entraram em um acordo: o hacker prometeu que nunca mais vai quebrar os códigos de nenhum aparelho produzido pela fabricante. De olho nas habilidades de Geohot, o Facebook o contratou no mesmo ano (2011), mas o jovem trabalhou na rede social de Mark Zuckerberg por apenas oito meses.

Leia também:

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.