Garoto de 15 anos lucra R$ 220 mil com Bitcoin e abre startup de educação

Por Redação | 13.06.2014 às 09:53
photo_camera Divulgação

Erik Finman que ganhou US$ 1.000 de presente da avó em 2012, quando ainda tinha 13 anos. Mas, ao contrário da maioria dos adolescentes dessa idade que prefere gastar o dinheiro comprando produtos e outras coisas, Finman decidiu investir todo o valor na moeda digital Bitcoin, que já existia naquela época, mas ainda não era mundialmente conhecida.

Muita gente pode considerar a atitude um tanto arriscada, ainda mais porque muitos usuários ainda olham com desconfiança para as Bitcoins. Mas esse não foi o caso de Finman: um ano depois do investimento, justamente quando a moeda virtual alcançou popularidade entre emrpesas e internautas, o jovem trocou suas criptomoedas por dólares e conseguiu sacar US$ 100 mil (cerca de R$ 220 mil). E sabe como ele gastou o dinheiro? Montando uma startup de educação chamada Botangle.com.

Como informa o site Mashable, a Botangle é uma plataforma online que une professores e estudantes para promover o conhecimento que "não é ensinado nas salas de aula". Através de chats e conferências em vídeo, os usuários podem aprender qualquer assunto, desde programação e lições de dança até aulas de francês com pessoas em Paris. As aulas são personalizadas para cada internauta, que podem agendar o melhor horário para fazê-las.

O conceito por trás da Botangle surgiu depois que Finman percebeu que o conteúdo aplicado nas escolas de sua cidade natal em Idaho, nos Estados Unidos, era muito limitado. A partir daí, ele teve a ideia de desenvolver um serviço que permitisse a todos compartilhar o conhecimento. "Queria usar a beleza de uma internet aberta e livre para que pessoas como eu tenham acesso a uma grande experiência de aprendizagem, sejam elas de Idaho, Nova Iorque ou até mesmo da África", disse.

Finman, atualmente com 15 anos, comanda uma equipe com mais de 20 profissionais, incluindo designers e programadores que são pagos regularmente em Bitcoin – todos passaram por um processo seletivo de entrevistas feito pessoalmente pelo garoto. Sua plataforma online possui mais de 100 usuários ativos e, apesar de ainda ter poucos cadastrados, os números são bastante expressivos, levando em consideração que a Botangle entrou no ar em maio deste ano.

Erik Finman

(Foto: Reprodução/Facebook)

Apesar do norte-americano ter fundado sua empresa aos 15 anos, sua história de sucesso começou quando ele tinha apenas 9 anos. Nesse tempo, ele ensinava tecnologia e dava aulas de robótica para outras crianças de seu bairro e, posteriormente, aprimorou sua educação através de cursos complementares de programação que não eram ensinados na escola onde estudava. E embora Finman seja comprometido em ampliar o acesso dos usuários à educação, ele não tem planos de obter um diploma universitário porque acredita que os métodos atuais de ensino não são os mais eficazes.

"Tenho um acordo com meus pais que, se eu fizer um milhão de dólares antes de completar 18 anos, não terei de ir para a faculdade", disse. "Algumas pessoas não conseguem entender como um garoto de 14 anos de idade poderia fazer algo assim. O que muita gente não entende é que, seja jovem ou velho, você pode criar o que quiser sem barreiras na internet", conclui Finman.

Veja no vídeo abaixo com funciona a Botangle (em inglês):