G Flex, o celular de tela curva da LG, chega ao Brasil em março por R$ 2.700

Por Redação | 27.02.2014 às 18:12
photo_camera Divulgação

Dispositivos de tela curva ainda são uma novidade bastante recente no mundo da tecnologia. E um desses lançamentos já tem data para chegar ao Brasil: a LG anunciou nesta quinta-feira (27) que seu primeiro smartphone de tela curva, o G Flex, estará à venda no mercado brasileiro na segunda semana de março. Saiu no G1.

Inicialmente, o aparelho estará disponível apenas nas lojas próprias da LG (chamadas LG Mobile Stores) daqui a duas semanas. A partir da terceira semana de março, o celular será vendido também em lojas do comércio eletrônico, e no fim do mês que vem chega às lojas físicas do varejo. O gadget terá preço sugerido de R$ 2.699, valor que corresponde ao aparelho desbloqueado, ou seja, sem planos de operadoras.

O G Flex foi lançado primeiro na Coreia do Sul, em novembro do ano passado, e posteriomente chegou a outros países da Europa e nos Estados Unidos. O produto vem equipado com um display HD P-OLED de 6 polegadas com resolução de 720p (1.280 x 720 pixels), processador quad-core Snapdragon 800 de 2,26 GHz, 2 GB de memória RAM, 32 GB de armazenamento interno, GPU Adreno 330 e bateria de 3.500 mAh.

Possui ainda câmera traseira de 13 megapixels e frontal de 2.1 MP, conectividade Wi-Fi 802.11ac e suporte ao 4G (LTE). Ele roda o sistema operacional Android 4.2.2 Jelly Bean, pesa 177 gramas e sua espessura varia entre 7,9 e 8,7 mm.

Entre outras características do G Flex está a curvatura por toda sua extensão. É justamente esse layout curvo que garante que o aparelho seja pressionado de cima para baixo até que fique completamente reto quando colocado em uma superfície plana, e mesmo assim sem prejudicar o funcionamento do dispositivo. De acordo com a fabricante, o smartphone aguenta uma pressão até 20 vezes maior que outros aparelhos. Veja abaixo uma demonstração feita pelo pessoal do The Verge:

Outra novidade presente no celular é sua carcaça. O corpo do G Flex é revestido com um material anti-arranhões que se auto-regenera na traseira em caso de quedas ou acidentes. Claro que riscos mais profundos ou feitos de propósito chegam a arrancar parte do material que cobre o chassi, mas arranhões mais leves, como feitos por chaves ou facas, desaparecem após algum tempo. Veja:

Durante a CES 2014, em Las Vegas, nos Estados Unidos, o Canaltech viu de perto como esse poder de regeneração funciona. Assista: