Fundadores da GoPro criam instituição beneficente para driblar bloqueio de ações

Por Redação | 06 de Outubro de 2014 às 14h00
photo_camera TechCrunch

A GoPro anunciou uma manobra visando driblar um bloqueio financeiro imposto por acordos após a entrada da empresa em processo de IPO. A movimentação resultou em uma queda de 14% no valor das suas ações na última quinta-feira (02), informou o Business Insider.

A empresa anunciou que seus fundadores, Nicholas e Jill Woodman, iriam destinar 5,8 milhões de ações Classe A para a criação de uma nova organização beneficente chamada “Jill + Nicholas Woodman Foundation”. As ações estavam anteriormente bloqueadas, segundo acordo para oferta pública inicial da GoPro. A JP Morgan Securities permitiu que as ações ficassem disponíveis para fins de caridade.

Em um comunicado para a imprensa, a GoPro informou que o casal fundador tinha contribuído com bens próprios para a fundação, e que mais informações seriam divulgadas posteriormente.

Os bloqueios são recursos amplamente utilizados em contratos de IPOs. Os acordos são normalmente feitos com bancos ou empresas seguradoras e têm o objetivo de fazer com que os detentores das ações sejam impedidos de vendê-las por um determinado período após a oferta.

Com os bloqueios, é possível gerir o preço de uma ação e limitar as ofertas para alinhar os interesses dos financiadores e investidores iniciais pós-IPO. Mas está se tornando mais comum o uso de ferramentas que contornam esses acordos, principalmente porque é possível um lucro extra com estes movimentos.

No acordo firmado pela GoPro, por exemplo, antes do IPO da empresa, a descrição do bloqueio afirma que os principais acionistas, como o casal Woodman, poderiam transferir as ações em situações que incluíssem “presente de boa-fé”, mas que os destinatários das ações estariam vinculados aos termos do acordo.

As ações da GoPro, que estavam apresentando um crescimento expressivo em setembro, tiveram uma queda de 13%, valendo US$ 80,02 – ainda assim, três vezes mais que o preço de quando entrou no IPO (US$ 24).

Analistas consideraram o movimento da GoPro para quebra do bloqueio um “exagero” e afirmaram que isso foi feito para que os investidores pudessem “levar algum dinheiro da mesa”.

No início desta semana a GoPro atualizou sua linha de câmeras Hero, com modelos mais sofisticados e capazes de fazer fotos em alta qualidade. A empresa ainda lançou uma câmera com um custo menor como “porta de entrada” para o mundo GoPro.

Fonte: http://blogs.wsj.com/digits/2014/10/02/gopros-lockup-loophole-spooks-investors/

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!