Fundador da Atari afirma que 90% das empresas não contratariam Steve Jobs

Por Redação | 05 de Novembro de 2014 às 11h13
photo_camera Foto: Divulgação

O norte-americano fundador da Atari e um dos pais da indústria do videogame, Nolan Bushnell, deu uma palestra no HSM Expo Management 2014, evento realizado em São Paulo, nesta terça-feira (04). Foi ele quem empregou Steve Jobs, que veio a ser o criador da Apple.

A revista Época Negócios relembra que o sucesso de Jobs não era previsto, pois, segundo Bushnell, o cofundador da Apple estava longe de ser o candidato ideal e ainda estaria para cerca de 90% das empresas. As suas características o diferenciavam dos outros concorrentes: ele gostava de andar descalço, evitava banhos e tinha a personalidade forte. "É muito fácil ir com a corrente, mas ao fazer isso você opta pela mediocridade", conta o fundador da Atari.

Ele relata também que "nos próximos dez anos, vamos experimentar mais mudanças do que nunca. As empresas que não mudarem ficarão para trás". Bushnell ainda bate na tecla que é essencial fugir do tradicional, do senso comum.

O empresário não deixa de comentar mais detalhes sobre Steve Jobs: "Steve era uma pessoa difícil, ele tinha muita paixão, mas era terrível com muitos de seus colegas. Para resolver a situação, decidi colocá-lo no turno da noite. Veja bem, não tínhamos um turno noturno na Atari", relata.

Mesmo nos tempos atuais, a contratação de Jobs seria uma exceção no mercado, pois as práticas das empresas e os processos de recrutamento fariam com que Steve fosse eliminado facilmente. "Alguns podem até estar dentro das empresas, mas não conseguem prosperar, ter sua criatividade aproveitada", afirma.

Na palestra, o fundador da icônica empresa de games ainda deu algumas dicas para as empresas evitarem erros na hora da contratação e ainda ensinou como atrair os melhores profissionais:

  • A primeira dica é sempre fazer propaganda da empresa. Bushnell lembra que Jobs se encontrou na companhia pois era um lugar diferenciado, descontraído e com muita diversão. Havia encontros para festas e jogos e, na hora de trabalhar, não importava como os funcionários iam à empresa, tanto na forma de agir como na de se vestir;
  • Celebrar o fracasso é essencial, assim como encarar desafios e correr riscos. Na Atari, todo mês havia um jantar para celebrar a ideia mais maluca de um funcionário que tinha falhado. "Se você não cair, é porque não está andando rápido o suficiente". Ele também citou a paixão pelo trabalho e a intensidade com a qual os funcionários se envolvem nos projetos;
  • Uma empresa pode não estar preparada para certos tipos de profissionais. A recomendação, então, é fazer como Bushnell agiu com Jobs: encontrar uma maneira para que eles se encaixem;
  • Negatividade precisa estar distante do trabalho. Pessoas que sempre dizem "não" nunca assumem a responsabilidade e não constroem nada;
  • Mesmo com o crescimento da empresa, o espírito deve ser sempre de uma empresa pequena. "Separe um grupo de profissionais e os deixe operar como uma startup", recomenda Nolan;
  • O diploma nem sempre é necessário. Steve Jobs, por exemplo, nunca chegou a se formar, assim como Michael Dell e Richard Branson.

A dica final de Nolan é sempre explorar o novo e buscar uma linha entre a genialidade e a loucura.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.