Foxconn registra recorde em seu lucro trimestral devido a impulso da Apple

Por Redação | 26.03.2013 às 11:03

A empresa taiwanesa Hon Hai Precision Industry, mais conhecida como Foxconn Technology, anunciou um novo recorde em seu lucro trimestral graças ao impulso comercial dos produtos eletrônicos da Apple, sua principal cliente. No trimestre que compreendeu os meses de outubro a dezembro de 2012, a Foxconn registrou lucro líquido na casa dos US$ 1,2 bilhão (R$ 2,4 bilhões), e também teve um aumento de 16% no lucro anual com US$ 3,19 bilhões (R$ 6,4 bilhões). As informações são da BBC.

A companhia é uma das principais fornecedoras de componentes no mundo e estima-se que somente os pedidos da Apple representem mais da metade de toda a produção e receita da Foxconn. Com base no sucesso de vendas da Maçã, a empresa chinesa também amplia seus rendimentos - para ter ideia, só no trimestre de outubro a dezembro de 2012, a Apple vendeu 47,8 milhões de unidades do iPhone, apresentando um aumento considerável em comparação às 37 milhões de unidades vendidas no mesmo período de 2011.

O lançamento do iPad mini no mercado mundial também foi responsável por alavancar as vendas das duas companhias, com 22,9 milhões de unidades do iPad vendidas no trimestre analisado, registrando novo aumento em comparação às 15,4 milhões de unidades vendidas em 2011.

Fábrica Foxconn

Reprodução: Mashable

No entanto, analistas afirmam que a grande dependência da Foxconn à Apple poderá acarretar um desaceleramento em seus negócios nos próximos meses, já que o mercado de tablets e smartphones não deverá ter a mesma proporção de crescimento que vem registrando nos últimos anos. "Na maioria das economias desenvolvidas, os smartphones estão em uma fase de penetração madura e os tablets também estão próximos de chegar a este patamar", afirmou Andrew Milroy, analista da consultoria Frost & Sullivan.

Milroy ainda ressaltou que a Apple não conseguiu atingir o mesmo sucesso que teve em mercados desenvolvidos nos países emergentes, já que seus produtos continuam sendo considerados caros dentro do padrão econômico desses países. A empresa norte-americana também tem enfrentado forte concorrência de outras fabricantes de dispositivos móveis, como é o caso da Samsung, e os analistas acreditam que se o crescimento da Apple diminuir, isso poderá afetar os rendimentos de suas fornecedoras, principalmente, da Foxconn.