Fire Phone da Amazon não agrada e vende apenas 35 mil unidades

Por Redação | 27 de Agosto de 2014 às 10h19
photo_camera Divulgação

Quando o assunto é tecnologia, não é de se estranhar que os holofotes sejam direcionados para produtos com alguma característica diferente quando chegam ao mercado. Esse foi o caso do Amazon Fire Phone e seus recursos bem interessantes de câmera, mapas 3D e rastreamento de objetos.

Mas o primeiro smartphone da gigante do varejo americano é mais uma prova de que nem tudo o que é inovador cai no gosto do público. Esse é o resultado de um artigo divulgado por Charles Arthur, editor de tecnologia do jornal britânico The Guardian. Com base nos dados das empresas Chitika e comScore, Arthur constatou que o Fire Phone vendeu até agora apenas 35 mil unidades desde seu lançamento, em julho deste ano, tornando o celular um dos maiores fracassos da indústria mobile.

Para se ter uma ideia, o número de aparelhos vendidos não chega nem perto de outros concorrentes. O Samsung Galaxy S5, por exemplo, ultrapassou a marca das 10 milhões de unidades comercializadas em sua primeira semana disponível no mercado. Quando chegou às lojas, o smartphone da Amazon representava apenas 0,02% das vendas de celulares nos Estados Unidos. Hoje, esse número caiu para 0,015%.

Essas porcentagens bastante inexpressivas já podiam ser notadas no começo de julho, menos de um mês após o Fire Phone ser anunciado. Antes, o aparelho estava entre os 10 produtos mais vendidos do site da Amazon, mas caiu para a 68ª colocação, semanas antes de chegar ao mercado, em 25 de julho.

A comScore, que analisa dados de grandes fabricantes, verificou que até o final de julho haviam cerca de 173 milhões de smarthones ativos nos EUA. Desse total, apenas 26 mil eram Fire Phones, e o crescimento não foi muito expressivo até então, uma vez que a quantidade desses dispositivos agora é de 35 mil peças vendidas. Lembrando que o aparelho custa US$ 200 (atrelado a um contrato de dois anos com alguma operadora) no continente americano, o mesmo preço de outros gadgets topo de linha, como o já citado Galaxy S5 e o iPhone 5s.

Na época em que anunciou o Fire Phone, Jeff Bezos, CEO da Amazon, disse que a companhia não está preocupada com as vendas atuais porque tem uma visão de longo prazo quanto a esse fator. Por isso, ele e os outros executivos da empresa estão pacientes quanto ao desempenho do produto.

Fato é que a Amazon precisará de mais argumentos para o seu smartphone se quiser alcançar a concorrência e conquistar mais usuários. "A Amazon quer estar presente no mundo dos smartphones, mas está apostando alto em truques, em vez de ganhar espaço na indústria ao oferecer algo realmente inovador e valioso para os consumidores", destacou o VentureBeat. "O mercado de smartphones é muito importante para a Amazon desistir por completo dele. Mas a empresa precisará lutar para descobrir por que, precisamente, os usuários devem comprar um Fire Phone".

O Fire Phone tem tela de 4,7 polegadas, processador quad-core com velocidade de 2,2 GHz, processador gráfico Adreno 330, 2 GB de memória RAM e revestimento resistente em Gorilla Glass em ambos os lados. O grande diferencial do aparelho é um conjunto de quatro câmeras frontais, que recebeu um recurso 3D chamado Dynamic Perspective. Entre suas principais características está o fato de que o cliente pode acessar itens pelo site da Amazon e visualizá-los em três dimensões, de acordo com sua perspectiva e posição.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!