FTC reafirma sua decisão de não processar o Google

Por Redação | 27.03.2015 às 18:29

Na semana passada, a notícia de que um documento interno que revelava uma divisão entre membros da Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) sobre a possibilidade de processar ou não o Google pela violação das leis de livre concorrência do país durante uma investigação que ocorreu em 2012 gerou uma grande movimentação no mercado.

Concorrentes e críticos do gigante das buscas aproveitaram para apontar o documento como nova evidência do que eles afirmam ser práticas monopolistas da empresa, e também de sua suposta poderosa influência na política de Washington.

Porém, a FTC se manifestou publicamente por meio de um comunicado para esclarecer que, ao contrário do que relatórios do Wall Street Journal deram a entender na ocasião, o material divulgado representa somente uma fração dos “volumosos registros analisados exaustivamente” pela Comissão.

A FTC disse ainda que todos os cinco comissários (três democratas e dois republicanos) concordaram que não havia base legal para mover uma ação judicial relacionada ao foco da investigação, que eram as práticas do motor de busca do Google. A Comissão voltou a afirmar que as práticas da empresa de Mountain View estão de acordo com todas as recomendações.

"Alguns dos advogados da FTC mostraram preocupações sobre diversas outras práticas do Google durante as investigações. Em resposta, a Comissão obteve o compromisso da empresa em relação a algumas delas. Nos últimos dois anos, a companhia cumpriu essas promessas", diz o comunicado da FTC.

Por fim, a FTC lamentou a divulgação inadvertida de documentos e informações confidenciais, pois "a Comissão leva a sério sua obrigação de manter a confidencialidade dos negócios e outras informações confidenciais fornecidas à Agência por todas as partes envolvidas nas investigações".

Fonte: FTC